Inserção da Matemática Moderna na formação de normalistas do Instituto de Educação Assis Brasil

Circe Mary Silva da Silva Dynnikov, Makele Veronica Heidt

Resumo


A pesquisa analisa a inserção da Matemática Moderna na formação de normalistas do Instituto de Educação Assis Brasil feita pela professora Cecy da Nova Cruz Sacco no Instituto de Educação Assis Brasil (IEAB), em Pelotas, no período de 1964-1970. A metodologia qualitativa emprega o método de análise documental, tomando como fontes os programas e os diários de classe da professora, o currículo do curso normal, a bibliografia recomendada para o curso e, ainda, fotografias e notícias publicadas em jornais periódicos da época. Ancorada na História Cultural e empregando conceitos de representação, apropriação, prática e cultura escolar, a pesquisa procura responder à seguinte pergunta investigativa: Na prática docente de Cecy da Nova Cruz Sacco junto ao Curso de Formação de Normalistas do Instituto de Educação Assis Brasil, quais são os elementos da Matemática Moderna identificados como saberes relevantes a ensinar? A conclusão foi de que, além dos saberes pertinentes à Matemática Moderna, como a teoria dos conjuntos, conjuntos numéricos, por exemplo, foram também considerados relevantes por ela os “saberes para ensinar”, apoiados fortemente nas ideias de Dienes e no uso dos blocos lógicos

 


Palavras-chave


Escola Normal. Matemática. Saberes disciplinares. Saberes profissionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, A. M. M. A matemática moderna no ensino primário gaúcho (1960-1978): uma análise das coleções de livros didáticos Estrada Iluminada e Nossa Terra Nossa Gente. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2013. https://doi. org/10.17921/2176-5634.2018v11n1p55-63

ALVES, A. M. M.; SILVEIRA, D. N. Uma leitura sobre as origens do Movimento da Moderna (MMM) no Brasil. Tópicos Educacionais, Recife, n. 2, p. 6-17, jul./dez. 2016.

AMARAL, G. L.; AMARAL, G. L. (org.). Instituto de Educação Assis Brasil: entre a memória e a história 1929-2006. Pelotas: Seiva, 2007.

BARBOSA, J. E. F. Reflexos do desenvolvimento atual da matemática no Ensino Secundário. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 2., 1957, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1957. p. 272-285. https://doi. org/10.29289/259453942018v28s1059

BASTOS, M. H. C. O novo e o nacional em revista: A Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1939-1942). Educacão, [s. l.], v. 18, n. 29, p. 41-74, 1995. https://doi.org/10.1590/ s0101-81082007000200004

BONFADA, E. M. A matemática na formação das professoras normalistas: o Instituto de Educação General Flores da Cunha em tempos de matemática moderna. 2017. Dissertação (Mestrado em Ensino de Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática, Instituto de Matemática, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017. https://doi.org/10.36397/emteia. v8i1.8879

BORDENAVE, J. D.; ANDRADE, R. R. B. (org.). Seminário de currículos e métodos de ensino agrícola superior. Pelotas: Instituto Interamericano de Ciencias Agricolas, 1973. (Série Informes de Conferências, Cursos e Reuniões, n. 37).

BÚRIGO, E. Z. A matemática moderna no âmbito da universidade. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO: O ENSINO E A PESQUISA EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 5., 2008, Aracaju. Anais [...]. Aracaju: Universidade Tiradentes, 2008. https://doi. org/10.14393/edufu-85-7078-117-2

BÚRIGO, E. Z. Matemática moderna na sala de aula: protagonismos de professores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 11, n. 34, p. 663-686, set./dez. 2011. https://doi. org/10.7213/rde.v11i34.4465

BÚRIGO, E. Z. Movimento da matemática moderna no Brasil: estudo da ação e do pensamento de educadores matemáticos nos anos 60. 1989. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1989. https://doi.org/10.19070/25727354-160006

BÚRIGO, E. Z.; DALCIN, A.; FISCHER, M. C. B. História da educação matemática: a institucionalização do campo em um curso de licenciatura. Cadernos de História da Educação, Uberlândia, v. 16, n. 3, p. 619-639, set./dez. 2017. https://doi.org/10.14393/che-v16n3-2017-4

BÚRIGO, E. Z.; FISCHER, M. C; SANTOS, M. Considerações acerca da matemática moderna no Rio Grande do Sul. In: BÚRIGO, E.; FISCHER, M. C.; SANTOS, M. (org.). A matemática modena nas escolas do Brasil e Portugal: novos estudos. Porto Alegre: Redes Editora, 2008. p. 35-45. https://doi.org/10.36397/emteia.v8i1.8879

BÚRIGO, E. Z.; PEIXOTO, F. A. B. Aprender a ensinar: memórias de professoras normalistas. Educação Matemática em Revista-RS, Canoas, v. 2, n. 19, p. 21-33, 2018.

CERTEUA, M. A escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. Rio de Janeiro: Forense, 1982.

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. 2. ed. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Algés: DIFEL, 2002.

DALCIN, A.; BONFADA, E. M.; RHEINHEIMER, J. M. Odila Barros Xavier e o ensino de matemática: percursos de uma professora formadora. Educação Matemática em Revista-RS, Canoas, v. 2, n. 19, p. 9-20, 2018.

D’AMBROSIO, U. O ensino da matemática elementar no Brasil. Estadão, São Paulo, Suplemento Cultural, ed. 11, p. 6-8, 26 dez. 1976.

DANTAS, M. M. S. Formação cientifica e pedagógica do Professor. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 2., 1957, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1957. p. 489-493. https://doi.org/10.29289/259453942018 v28s1059

FERREIRA, V. F. Universidade Federal de Pelotas à época da ditadura civil-militar: memórias divergentes de uma trajetória. 2017. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, 2017. https://doi.org/10.21475/ajcs.18.12.06.pne1087

FONSECA, L. P.; SACCO, C. N. C.; SOARES, L. J. Promoção dos alunos no curso secundário. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 2., 1957, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1957. p. 432-434. https://doi. org/10.29289/259453942018v28s1059

FONTAINE, A. Pedagogia como transferência cultural no espaço franco-suíço: mediadores e reinterpretações de conhecimento (1850-1900). História da Educação, Santa Maria, Porto Alegre, v. 18, n. 42, p. 187-207, jan./abr. 2014. https://doi.org/10.1590/s2236-34592014 000100011

FOSSA, J. A. Aspectos da lógica de Leonhard Euler. Pensando: Revista de Filosofia, Teresina, v. 6, n. 12, p. 214-242, 2015. https://doi.org/10.26694/pensando. v6i12.3182

GISPERD, H. Mathematics Education in France: 1800-1980. In: KARP. A.; SCHUBRING. G. (org.). Handbook on history of mathematics education. New York: Springer, 2014. p. 229-240.

GUIMARÃES, H. M. Por uma matemática nova nas escolas secundárias: perspectivas e orientações curriculares da matemática moderna. In: MATOS, J. M.; VALENTE, W. R. (org.). A matemática moderna nas escolas do Brasil e de Portugal: primeiros estudos. São Paulo: Zapt, 2007. p. 21-45. https://doi.org/10.7213/rde.v6i18.3214

HEIDT, Makele. A matemática reformulada na formação de normalistas no Rio Grande do Sul. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 7., 2017, Canoas. Anais [...]. Canoas: Ulbra, 2017. p. 1-13. https://doi.org/10.36397/emteia.v8i1.8879

HOFSTETTER, R.; SCHNEUWLY, B. Saberes: um tema central para as profissões do ensino e da formação. In: HOFSTETTER, R.; VALENTE, W. R. (org.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. São Paulo: LF, 2017. p. 63-102. https://doi.org/10.14393/chev17n1-2018-17

JORNAL DO DIA, Porto Alegre, ano 9, n. 2493, p. 5, 29 maio 1955.

MAGALHÃES, C. R. A Escola de Belas Artes de Pelotas (1949-1973): trajetória institucional e papel na História da Arte. 2012. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, 2012. https://doi.org/10.34037/978-98954295-1-6_2_2

MATASCI, D. A França, a escola republicana e o exterior: perspectivas para uma história internacional da educação no século 19. História da Educação, Santa Maria, v. 20, n. 50, p. 139-155, set./dez. 2016. https://doi.org/10.1590/ 2236-3459/66203

MATOS, J. M.; LEME DA SILVA, M. C. O movimento da matemática moderna e diferentes propostas curriculares para o ensino de geometria no Brasil e em Portugal. BOLEMA, Rio Claro, v. 24, n. 38, p. 171-196, abr. 2011.

MEDINA, D. Como ensinar matemática nos primeiros anos escolares em tempos do movimento da matemática moderna? Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 16, n. 48, p. 403-422, maio/ago. 2016. https://doi.org/10.7213/dialogo. educ.16.048.ds07

NOVAES, B. W. D. As contribuições de Jean Piaget para a Educação Matemática. In: EDUCERE: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 5., 2005, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: [s. n.], 2005. v. 1.

PEREIRA, L. H. F. Os discursos sobre matemática publicados na Revista do Ensino do Rio Grande do Sul (1951-1978). 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. https://doi.org/10.5327/z2447211520161600027

SANGIORGI, O. Cursos de verão. Atualidades Pedagógicas, São Paulo, p. 7-12, set./dez. 1960.

SANGIORGI, O. Matemática Clássica ou matemática moderna, na elaboração dos programas de ensino secundário? In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 2., 1957, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1957. p. 398-406. https://doi.org/10.29289/259453942018v28s1059

SILVA, C. M. S. Transferências e apropriações de saberes: Friedrich Bieri e a matemática para o ensino primário. História da Educação, Porto Alegre, v. 19, n. 45, p. 43-66, jan./abr. 2015. https://doi.org/10.1590/2236-3459/48962

TOMAZ, F. G. Teoria dos conjuntos e taxonomia biológica: estudo interdisciplinar. 2016. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Matemática, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, 2016. https://doi.org/10.18226/610001/mostraxvi.2016.45

VALENTE, W. R. O movimento da matemática moderna: suas estratégias no Brasil e em Portugal. In: BÚRIGO, E. Z.; FISCHER, M. C.; SANTOS, M. (org.). A matemática modena nas escolas do Brasil e Portugal: novos estudos. Porto Alegre: Redes Editora, 2008b. p. 7-21. https://doi. org/10.7213/rde.v6i18.3214

VALENTE, W. R. Osvaldo Sangiorgi e o movimento da matemática moderna no Brasil. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 8, n. 25, p. 583-613, set./dez. 2008a. https://doi.org/10.7213/rde.v8i25.3724

WATENABE, R. O rabo do gato pertence ao conjunto? Estadão, São Paulo, Suplemento Cultural, p. 5-6, 1 maio 1977.

WIELEWSKI, G. O movimento da matemática moderna e a formação de grupos de professores de matemática no Brasil. In: ENCONTRO ANUAL DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA, 2008. Anais [...]. Elvas: Associação de Professores de Matemática, 2008. p. 1-10. https://doi.org/10.26843/rencima.v10i1.1444

XAVIER, O. B. Sugestões para programas de matemática e de direção da aprendizagem em matemática para professôres primários. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 2., 1957, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1957. p. 169-177. https://doi.org/10.29289/259453942018v28s1059




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.33798

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS