Leitura em aulas de História: práticas e possibilidades de ensino-aprendizagem

Lisiane Sias Manke

Resumo


O artigo objetiva discutir as práticas de leitura realizadas em aulas de História, indicando para o predomínio de um suporte de leitura em especial: o livro didático. O texto analisa ainda, possibilidades de ensino-aprendizagem que contribuam para promover a competência leitora dos estudantes. Para dar conta de tal proposta, consideramos os dados empíricos coletados a partir de observações de cunho etnográfico em duas turmas de 9º ano, à luz dos estudos que se ocupam em compreender a leitura enquanto prática cultural, que resulta da experiência social de leitores ativos. As aulas observadas possibilitam entender e problematizar a forma como a escola promove (ou não) meios para desenvolver a competência leitora.


Palavras-chave


Práticas de leitura. Aulas de História. Formação leitora.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Raquel Lazzari Leite. Práticas de leitura e conceitos sócio-ambientais. São Paulo: Arte & Ciências, 2009.

BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Um objeto variável e instável: textos, impressos e livros didáticos. In: ABREU, Márcia (org.). Leitura, história e história da leitura. Campinas: Mercado de Letras/ALB/FAPESP, 2000. p. 529-575.

https://doi.org/10.14393/che-v17n2-2018-19

BATISTA, Antônio Augusto Gomes. Livro didáticos entre textos e imagens. In: BITTENCOURT, Circe. O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2013.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano, artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A ordem dos livros, leitores, autores e bibliotecas entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: UnB, 1994.

CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

ECO, Umberto. O leitor modelo. In: ECO, Umberto. Lector in Fábula. São Paulo: Perspectiva, 2004. p. 35-49.

FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.

Disponível em: http://prolivro.org.br/home/images/2016/RetratosDaLeitura2016_

LIVRO_EM_PDF_FINAL_COM_CAPA.pdf. Acesso em: 17 fev. 2017.

GALVÃO, Ana Maria de; BATISTA, Antônio Augusto Gomes. O estudo dos manuais escolares e a pesquisa em história. In: BATISTA, Antonio Augusto G.; GALVÃO, Ana Maria de O. Livros Escolares de Leitura no Brasil: elementos para uma história. Campinas/SP: Mercado das Letras, 2009.

https://doi.org/10.1590/s1413-24782002000200003

GOULEMOT, Jean Marie. Da leitura como produção de sentidos. In: CHARTIER, Roger (org.). Práticas de leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 2001. p. 107-116.

INAF. Indicador de Alfabetismo Funcional: estudo especial sobre alfabetismo e mundo do trabalho do Instituto Paulo Montenegro. 2016.

Disponível em: file:///C:/Users/Lisiane/Downloads/INAFEstudosEspeciais_2016_Letramento_e_Mundo_do_Trabalho.pdf. Acesso em: 10 dez. 2016.

https://doi.org/10.11606/d.27.2011.tde-10062013-114554

KLEIMAN, Â. B. Compreensão leitora. In: FRADE, I. C. A. S.; COSTA VAL, M. G.; BREGUNCI, M. G. C. (org.). Glossário CEALE: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. Belo Horizonte: UFMG/Faculdade de Educação, 2014. p. 61-62.

LAHIRE, Bernard. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática, 1997.

LAHIRE, Bernard. Homem Plural: os determinantes da ação. Petrópolis: Vozes, 2002.

LAJOLO, Marisa. Livro Didático: um (quase) manual de usuário. Em Aberto, Brasília, ano 16, n. 69, jan./mar. 1996.

PFAFF, Nicole. Etnografia em contextos escolares: pressupostos gerais e experiências interculturais no Brasil e na Alemanha. In: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle. (orgs.). Metodologia da pesquisa qualitativa em Educação.

Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

ROCHA, Helenice Aparecida B. O lugar da linguagem no ensino de história: entre a oralidade e a escrita. 2006. Tese (Doutorado em Educação) – UFF, Niterói, 2006.

ROCHA, Helenice Aparecida B. Livros didáticos de história: a diversidade de leitores e de usos. In: ROCHA, Helenice Aparecida B.; REZNIK, Luís; MAGALHÃES, Marcelo de Souza (orgs.). A História na Escola: autores, livros e leituras. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

https://doi.org/10.17771/pucrio.acad.19349

SILVA, Marco Antonio. A formação leitora no livro didático de História. 2009. 229 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

https://doi.org/10.14393/19834071.2016.36163

SILVA, Jeferson Rodrigo da. Artes de fazer o ensino de história: professor, aluno e livro didático entre saberes admitido e inventivo. 2012. 370 f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2012.

https://doi.org/10.20873/uft.2179-3948.2018v9n3p178

SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. Tradução Claúdia Schilling. Porto Alegre: Artmed: 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.28677

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS