Escolas do campo e a guetização do processo pedagógico

Fernanda Wanderer, Daiane Martins Bocasanta

Resumo


O artigo é fruto de uma investigação desenvolvida com o propósito de examinar as enunciações sobre a escola do campo produzidas por acadêmicos de um Curso de Licenciatura em Educação do Campo. O material de pesquisa escrutinado é constituído por documentos do curso e questionários aplicados junto aos estudantes. Os aportes teóricos advêm do pensamento de Michel Foucault e Zygmunt Bauman. A análise mostrou que os discentes estão capturados pelo enunciado que diz: “a escola do campo deve trabalhar com a forma de vida do campo”. Sobre a recorrência desse enunciado é possível dizer que: a) a valorização exacerbada da cultura do campo atende a uma urgência: manter na zona rural a população que nela reside, evitando seu deslocamento para as periferias das cidades; e b) reforça a guetização do processo pedagógico presente nas escolas do campo.


Palavras-chave


Escolas do campo. Licenciatura em Educação do Campo. Michel Foucault. Zygmunt Bauman.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELO, Aline Aparecida. O que é ser educador do campo: os sentidos construídos pelos estudantes do Curso de Licenciatura em Educação do Campo da FaE/UFMG. 2013. Dissertação (Mestrado em Processos Socioeducativos e Práticas Escolares) – Programa de Pós-Graduação em Processos Socioeducativos e Práticas Escolares, Departamento de Educação, Universidade Federal de São João Del-Rei, São João Del-Rei, 2013.

ARROYO, Miguel. Políticas de formação de educadores (as) do campo. Cadernos Cedes, Campinas, v. 27, n. 72, p. 157-176, maio/ago. 2007.

https://doi.org/10.1590/S0101-32622007000200004

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 36, de 04 de dezembro de 2001. Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília: Ministério da Educação, 2001.

Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/mn_parecer_36_de_04_de_dezembro_de_2001.pdf. Acesso em: 15 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica. Brasília: MEC, 2013a.

Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/julho-2013-pdf/13677-diretrizes-educacao-basica-2013-pdf/file. Acesso em: 20 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 86, de 1º de fevereiro de 2013. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil: seção 1, Brasília, DF, n. 24, p. 28, 2013b.

Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/port_86_01022013.pdf. Acesso em: 15 jun. 2017.

CALDART, Roseli Salete. A escola do campo em movimento. In: BENJAMIN, César; CALDART, Roseli Salete (org.). Projeto popular e escolas do campo: articulação nacional por uma educação básica do campo. Brasília: Articulação Nacional Por uma Educação Básica do Campo, 2000. (Coleção Por uma Educação Básica do Campo, n. 3). p. 26-57.

CALDART, Roseli Salete. A escola do campo em movimento. Currículo sem Fronteiras, [s.l.], v. 3, n. 1, p. 60-81, jan./jun. 2003.

CALDART, Roseli Salete. Por uma educação do campo: traços de uma identidade em construção. In: KLLING, Edgar Jorge; CERIOLI, Paulo Ricardo; CALDART, Roseli Salete (org.). Educação do Campo: identidades e políticas públicas. Brasília: Articulação Nacional Por uma Educação Básica do Campo, 2002. (Coleção Por uma Educação do Campo, n. 4). p. 18-25.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2006.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 1992.

DUARTE, Claudia G.; SANTOS, Simone V. Apresentação da seção temática – educação do campo. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 3, p. 659-666, jul./set. 2015.

https://doi.org/10.1590/2175-623656800

FIMYAR, Olena. Governamentalidade como ferramenta conceitual na pesquisa de políticas educacionais. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 35-56, maio/ago. 2009.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Trabalhar com Foucault: arqueologia de uma paixão. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2003.

FOUCAULT, Michel. O belo perigo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

HAGE, Salomão M. Por uma escola do campo de qualidade social: transgredindo o paradigma (multi)seriado de ensino. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, p. 97-113, abr. 2011.

KNIJNIK, Gelsa. Educação Matemática, cultura e conhecimento na luta pela terra. Porto Alegre: UNISC, 2006.

KNIJNIK, Gelsa; WANDERER, Fernanda. Programa Escola Ativa, escolas multisseriadas do campo e educação matemática. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 211-225, jan./mar. 2013.

https://doi.org/10.1590/S1517-97022013000100014

LOPES, Maura Corcini et al. Inclusão e biopolítica. São Leopoldo: Instituto Humanitas Unisinos, 2010.

MARÍN-DÍAZ, Dora Lilia. Autoajuda e educação: uma genealogia das antropotécnicas contemporâneas. 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MASSCHELEIN, Jan; SIMONS, Maarten. Em defesa da escola: uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

MOLINA, Mônica Castagna; HAGE, Salomão Mufarrej. Riscos e potencialidades na expansão dos cursos de licenciatura em Educação do Campo. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Goiânia, v. 32, n. 3, p. 805-828, set./dez. 2016.

https://doi.org/10.21573/vol32n32016.68577

SÁ, Josinalva R. Licenciatura em Educação do Campo: propostas em disputa na perspectiva de estudantes do Curso de Matemática da UFMG. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SACHS, Línlya; ELIAS, Henrique R. A formação matemática nos cursos de licenciatura em educação do campo. Bolema, Rio Claro, v. 30, n. 55, p. 439-454, ago. 2016.

https://doi.org/10.1590/1980-4415v30n55a07

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Projeto Pedagógico do Curso de Graduação Licenciatura em Educação do campo: Programa Especial de Graduação – PEG. Porto Alegre: Faculdade de Educação, 2013.

Disponível em: https://www.ufrgs.br/liceducampofaced/wp-content/uploads/2017/05/PROJETO_PEDAGOGICO_EDUCAMPO-4.pdf. Acesso em: 30 de maio de 2017.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

WANDERER, Fernanda. Educação Matemática, processos de regulação e o Programa Escola Ativa. Revista de Educação Publica, Cuiabá, v. 26, n. 61, p. 201-221, jan./abr. 2017.

WANDERER, Fernanda; KNIJNIK, Gelsa. Processos avaliativos e/na educação matemática: um estudo sobre o Programa Escola Ativa. Educação, Porto Alegre, v. 37, n. 1, p. 92-100, jan./abr. 2014.

https://doi.org/10.15448/1981-2582.2014.1.15880




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.27832

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS