Bem viver e terra sem males: a cosmologia dos povos indígenas como uma epistemologia educativa de decolonialidade

Luís Carlos Dalla Rosa

Resumo


O artigo discute os conceitos de “bem viver” e de “terra sem males” presentes na cosmologia dos povos indígenas em vista de uma epistemologia educativa de decolonialidade, tal como a propõe pensadores como Enrique Dussel e Walter Mignolo. O ponto de partida é a razão do/a Outro/a, sobretudo a exterioridade indígena, mas que se manifesta também em outras fronteiras (a mulher, o negro, a juventude...) que desbordam a modernidade e a colonialidade, duas faces de uma mesma ontologia que pensa o fundamento do ser a partir da totalidade que oprime e exclui a outridade. Trata-se de uma abordagem eminentemente teórica que parte de uma análise fenomenológica e, ao mesmo tempo, hermenêutica, na medida em que a manifestação da sabedoria indígena tem a prioridade e, como tal, deve ser o pano de fundo da presente discussão, a qual ocorre no âmbito da filosofia da educação.


Palavras-chave


Sabedoria indígena. Pedagógica. Alteridade. Decolonialidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBÓ, Xavier. Os Guarani e seu bem-viver. IHU On-line, 31 ago. 2015. p. 84-95.

Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/546154-os-guarani-e-seu-bem-viver. Acesso em: 2 set. 2016.

ALENCAR, Jackson de. A terra sem males. São Paulo: Paulus, 2009.

ANZALDÚA, Gloria. Boderlands – La frontera: the new mestiza. 4. ed. San Francisco: Aunt Lute Books, 2012.

ASSMANN, Hugo. Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

AYALA, Felipe Guanán Poma de. Nueva coronica y buen gobierno. Mexico, D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1993. v. 1.

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i153p117-138

BOLIVIA. Constitución política del Estado plurinacional de Bolivia. La Paz: Asamblea Constituyente, 2009.

https://doi.org/10.17141/iconos.32.2008.1280

BRAND, Antonio Jacó. Educação indígena: uma educação para a autonomia. ANPED, GT: Educação popular.

Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt06888int.pdf. Acesso em: 30 maio 2017.

https://doi.org/10.18675/2177-580x.vol5.n2.p09-30

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. Brasília: Senado Federal, 2016.

https://doi.org/10.32445/97885671340932

CHAMORRO, Graciela. Uma trajetória marcada pela palavra. IHU On-line, São Leopoldo, n. 331, p. 22-24, 31 maio 2010.

CONDORI, Víctor C. et al. Vivir bien: contextos e interpretaciones. La Paz: ISEAT, 2013.

DALLA ROSA, Luís Carlos. Educar para a sabedoria do amor: a epifania do rosto do outro como uma pedagogia do êxodo. Tese de doutorado apresentada no Programa de Pós-Graduação em Teologia da EST, São Leopoldo, Porto Alegre, 2010. p. 33-36.

https://doi.org/10.29381/0103-8559/2019290128-33

DALLA ROSA, Luís Carlos. Economia para a vida: a rebelião dos limites e o itinerário teológico para uma economia solidária. São Leopoldo: Sinodal, 2016.

DEPESTRE, René. Problemas de la identidade del hombre negro en las literaturas antillanas. Cidade do México: Unam, 1978. (Latinoamerica: cadernos de cultura latinoamericana, n. 14).

DUSSEL, Enrique. Ética da libertação: na idade da globalização e da exclusão. 2. ed. Petropólis: Vozes, 2002.

https://doi.org/10.18542/rmi.v1i2.2894

DUSSEL, Enrique. Filosofia da libertação: na América Latina. São Paulo: Loyola, 1977.

DUSSEL, Enrique. Política da libertação. Passo Fundo: IFIBE, 2014.

ESTERMANN, Josef. El vivir bien y su potencial utópico. In: CONDORI, Víctor C. et al. Vivir bien: contextos e interpretaciones. La Paz: ISEAT, 2013.

FANON, Franz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: UFJF, 2005.

FERNÁNDEZ, Eduardo Grillo. Presentación. In: GRESLOU, F. et al. Cultura andina agrocéntrica. Lima, Pratec, 1991. p. 09-10.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

https://doi.org/10.9771/2317-1219rf.v13i13.3221

GONÇALVES, Maurício da Silva. Povo Guarani-Mbya. In: CONSELHO INDIGENISTA NACIONAL (CIMI). Porantim, Encarte pedagógico X, dez. 2015.

HEGEL, Georg W. F. Filosofia da história. 2. ed. Brasília: UNB, 2008.

HINKELAMMERT, Franz. A maldição que pesa sobre a lei: as raízes do pensamento crítico em Paulo de Tarso. São Paulo: Paulus, 2012.

HINKELAMMERT, Franz. A rebelião dos limites. Cadernos do pensamento crítico (Clacso Brasil), Rio de Janeiro, n. 17, p. 22-25, ago. 2011.

JAMES, C.L.R. Os jacobinos negros: Toussaint L’Ouverture e a revolução de são domingos. São Paulo: Boitempo, 2010.

https://doi.org/10.5380/rv.v1i6/7.18494

KOPENAWA, Davi. Bem viver: um aprendizado para a humanidade. IHU On-line, São Leopoldo, ano 10, n. 340, p. 29-30, 23 ago. 2010.

LE BOT, Yvon. Comandante Marcos: sonho zapatista. Barcelona: Anagrama, 1997.

LÉVINAS, Emmanuel. Descobrindo a existência com Husserl e Heidegger. Lisboa: Instituto Piaget, 1998.

LÉVINAS, Emmanuel. Piaget, 1998. Dificil libertad. Buenos Aires: Lilmod, 2004.

LÉVINAS, Emmanuel. Totalidade e infinito. Lisboa: Edições 70, 2000.

MENDIÁBAL, Guilhermo et al. América profunda. Lima: Bellido, 2007.

MIGNOLO, Walter D. A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 35-54.

https://doi.org/10.17666/329402/2017

MIGNOLO, Walter D. Local histories / global designs: coloniality, subaltern knowledges, and border thinking. Princeton: Princeton University, 2000.

https://doi.org/10.1017/s0395264900039287

MIGNOLO, Walter D. The idea of Latin America. Malden (EUA): Blackwell Publishing, 2005b.

MÍGUEZ, Nestor; SUNG, Jung Mo; RIEGER, Joerg. Para além do espírito do Império: novas perspectivas em política e religião. São Paulo: Paulinas, 2012.

https://doi.org/10.19176/rct.v22i83.19244

MONTAÑO, Gabriela. Entrevista: hoje somos protagonistas. Entrevista concedida a Aline Gatto Boueri. Opera Mundi.

Disponível em: https://operamundi.uol.com.br/entrevista/40066/hoje-somos-protagonistas-diz-boliviana-quepreside-legislativo-com-51-de-deputadas. Acesso em: 12 abr. 2015.

https://doi.org/10.15448/1984-7726.2016.2.23982

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. 19. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

SANTOS, Boaventura de Souza. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

https://doi.org/10.14409/dys.v1i18/19.5407

SUESS, Paulo. Elementos para a busca do bem viver (sumak kawsay) para todos e sempre.

Disponível em: http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&action=

read&id=5166. Acesso em: 2 set. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.27652

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS