Discursos sobre a surdez no Portal do Professor do MEC: desnaturalizando estereótipos e essencializações

Ana Flávia Teodoro de Mendonça Oliveira, Clarissa Martins de Araújo

Resumo


O artigo analisa a representação cultural da surdez nos discursos midiáticos do Portal do Professor do Ministério da Educação (MEC). Este estudo busca, então, identificar os estereótipos e as possíveis essencializações existentes na produção dos docentes. Com base na perspectiva foucaultiana de análise arqueológica do discurso, foram selecionados como arquivo documentos produzidos no “Jornal do Professor”, nos “Vídeos Institucionais” e no “Espaço da aula”. Os resultados revelam que, apesar da heterogeneidade de técnicas subsidiadas pelo Portal, os discursos produzem a surdez de maneira pejorativa e estereotipada, através de terminologias como “falta/limitação”, “mudez/silêncio”, “deficiência auditiva”; enfatizam também o uso da Libras como condição para inclusão. Podemos inferir, portanto, que a representação da surdez nesses discursos continua presa à concepção clínica da deficiência, o que reforça os mitos comuns sobre os surdos. Desse modo, os professores em formação parecem representá-los como sujeitos que possuem identidade fixa, estável, estática e permanente.


Palavras-chave


Surdez. Representação Cultural. Estereótipo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Maria Hilda Ruas; RODRIGUE, Paloma Alinnes

Alves; DOSCHER, Andréa Leão. Deficiência Auditiva: entendendo como se formam os sons e como os captamos. In: Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, 2010. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=26594. Acesso em: 14 ago. 2019.

BEHARES, Luis E. Nuevas Corrientes en la Educación del Sordo: de los enfoques clínicos a los culturales”. Cadernos de Educação Especial, Santa Maria, RS, n. 4, p. 20-52, 1993.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

BIELSCHOWSKY, Carlos Eduardo; PRATA, Carmem Lúcia. Portal do Professor do Brasil. Revista de Educación, Espanha, n. 352, p. 617-637, maio-ago. 2010. Disponível em: http://www.revistaeducacion.educacion.es/re352_experiencias.htm. Acesso em: 08 nov. 2016.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras – e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 14 dez. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação do Brasil. Portal Educacional do Professor do Brasil. In: Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, [2008?]. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html. Acesso em: 14 dez. 2012.

CARVALHO, Rosita E. Temas em educação especial. Rio de Janeiro: WVA, 1998.

COSTA, Marisa V. Currículo e política cultural. In: COSTA, Marisa V. (org.). O currículo nos limiares do contemporâneo. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 37-67.

ESPAÇO da aula. In: In: Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, [2008?]. Disponível em:

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/espacoDaAula.html. Acesso em: 14 ago. 2019.

ESPECIAL Dia do Professor. Jornal do Professor, ed. 129, Brasília, DF, 14 out. 2016. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/jornal.html. Acesso em: 14 ago. 2019.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

FOUCAULT, Michel. Ordem do discurso. Tradução de Laura Fraga de Almeida Sampaio, ed. 16, São Paulo: Loyola, 1996.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Formação de professores para uma mudança educativa. Lisboa: Porto Editora, 1999.

GUIMARÃES, Selma Sueli Santos; DIAS, Eliana; OLIVEIRA, Lazuíta Goretti. Os Três Porquinhos. Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, 2014. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?pagina=espaco%2Fvisualizar_aula&aula=55393&secao=espaco&request_locale=es. Acesso em 14 ago. 2019.

HALL, Stuart. The work of representation. In: HALL, Stuart. (org.). Representation: cultural representations and signifying practices. London: Thousand Oaks, 1997.

LIBRAS na escola. Jornal do Professor , Brasília, DF, ed. 51, Libras na Escola, 22 fev. 2011. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/noticias.html?idEdicao=54&idCategoria=8. Acesso em: 14 ago. 2019.

MANTOAN, Maria Tereza. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2005.

MARTINS, Lúcia A. A inclusão escolar do portador da síndrome de down: o que pensam os educadores? Natal: EDUFRN, 2003.

PERLIN, Gladis; MIRANDA, Wilson. Surdos: o narrar e a política. Ponto de Vista: Revista de Educação e Processos Inclusivos, n. 5, Florianópolis, 2003.

QUADROS, Ronice; KARNOPP, Lodenir B. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. São Paulo: ARTMED, 2004.

SCHENINI, Fátima. PIAUÍ incentiva a inclusão em suas escolas. Jornal do Professor, [S. l.], e. 30: Acessibilidade e Inclusão, 26 nov. 2009. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?request_locale=pt_BR&pagina=jornal%2Fnoticia_interna&pagina=jornal%2Fnoticia_interna&secao=jornal&secao=jornal&idConteudo=887. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, Edna Maria da; MEDEIROS, Suzana Maria Brito de. Aprendendo a se comunicar usando as mãos. In: Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, 2010. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=24022. Acesso em: 14 ago. 2019.

SILVA, Érica Danielle. Movimentos identitários e políticas de inclusão na mídia: a (d)eficiência em tela. 2010. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós- Graduação em Letras da Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

SKLIAR, Carlos. Perspectivas políticas e pedagógicas da educação bilíngue para surdos. In: SILVA, S.; VIZIM, M. (org.). Educação especial: múltiplas leituras e diferentes significados. Campinas: Mercado das Letras, 2001.

TEIXEIRA, Josina Augusta Tavares; FAGUNDES, Andréa Vassallo. Diferentes leituras para pessoas com necessidades especiais: Braille, Libras e leitura labial. In: Portal do Professor do MEC. Brasília: Ministério da Educação, 2010. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=18686. Acesso em: 14 ago. 2019.

THOMA, Adriana S. O cinema e a flutuação das representações surdas: Que drama se desenrola neste filme? Depende da perspectiva. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

TOMAZINI, Maria Elisabete A. Expatriação social e segregação institucional da diferença: reflexões. In: BIANCHETTI, L.; FREIRE, I. M. (org.). Um olhar sobre a diferença: interação, trabalho e cidadania. Campinas: Papirus, 1998. p. 111-133.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.2.26815

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS