Ética e poder. A sujeição política, novo dilema ético

Castor Mari Martín Bartolomé Ruiz

Resumo


A ética é uma prática que coimplica subjetividade e da alteridade. Nas atuais sociedades de controle se procura fabricar subjetividades destemperadas numa ética do descuido de si. As éticas do cuidado de si visavam ajudar a constituir sujeitos livres pela prática ética da virtude. Os novos dispositivos de controle atualizaram o poder da ética como prática em que o sujeito pode dirimir seu estilo de vida entre a sujeição ou a liberdade. As éticas do cuidado de si desconsideraram a importância da alteridade para pensar a prática ética. Embora existam divergências importantes entre ambas perspectivas éticas, elas coincidem em afirmar a ética como uma prática que incide na constituição dos sujeitos, uma prática de liberdade de si (Foucault) e uma prática de libertação do outro como justiça (Levinas). PALAVRAS-CHAVE – Alteridade. Cuidado de si. Modos de subjetivação. Liberdade. Desejo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2008.2.4457

ISSN-L: 0042-3955

e-ISSN: 1984-6746


Veritas - Revista Quadrimestral de Filosofia da PUCRS

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos princípios recomendados por essa organização de referência internacional em ética e integridade na publicação científica.http://www.publicationethics.orgbr>

Licencia Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS