Reading Arendt’s on revolution after the fall of the wall

Dick Howard

Resumo


O artigo revisita a obra de Hannah Arendt On Revolution e os eventos históricos da revolução americana, de forma a reformular os chamados “problemas da época”. Embora todo ator político reivindique que as suas políticas sejam a encarnação da vontade unida da nação em uma democracia, abre-se a porta da antipolítica na medida em que a natureza simbólica – e portanto contestada – do povo soberano é reduzida à sua realidade temporária. Tal é a lição crucial a ser extraída ainda hoje da obra The Origins of Totalitarianism, que pode ser lida como uma tentativa de pensar a expressão mais extrema da antipolítica. PALAVRAS-CHAVE – Antipolítica. Arendt. Democracia. Revolução.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2008.1.3969



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS