Linguagens da morte: revisitando a linguagem totalitária com Arendt e Klemperer

Ricardo Timm de Souza

Resumo


O texto pretende, a partir de abordagens das obras Eichmann em Jerusalém – um relato sobre a banalidade do mal, de Hannah Arendt e de LTI – A linguagem do terceiro Reich, de Victor Klemperer, caracterizar algumas características da linguagem nazista de relevância para a compreensão da contemporaneidade, especialmente no que tange à confecção dos chamados discursos de “pós-verdade”.


Palavras-chave


Linguagem totalitária. Discursos de “pós-verdade”. Contemporaneidade. Sentido da linguagem.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Ensaios sobre psicologia social e psicanálise. São Paulo: UNESP, 2015.

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

ASCHHEIM, S. E. Scholem, Arendt, Klemperer: Intimate Chronicles in Turbulent Times. Bloomington: Indiana University Press, 2001.

ALTER, R. Anjos necessários: tradição e modernidade em Kafka, Benjamin e Scholem. Rio de Janeiro: Imago, 1992.

ECO, U. O fascismo eterno. Rio de Janeiro: Record, 2018.

FAYE, J. P. Introdução às linguagens totalitárias teoria e transformação dos relatos. São Paulo: Perspectiva, 2009.

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do eu. Porto Alegre: L&PM, 2019.

HORKHEIMER, M. Eclipse da razão. São Paulo: Centauro, 2002.

KAFKA, F. O Veredicto/Na Colônia Penal. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

KLEMPERER, V. LTI: A linguagem do terceiro Reich. Rio de Janeiro: Contraponto, 2009.

KLEMPERER, V. Os diários de Viktor Klemperer: testemunho clandestino de um judeu na Alemanha nazista. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

SANTOS, M. L. Victor Klemperer: a linguagem do mal e a nazificação da sociedade alemã. Veritas, Porto Alegre, v. 63, n. 1, p. 150-189, 2018. https://doi.org/10.15448/10.15448/1984-6746.2018.1.29499.

SOUZA, R. T. Kafka, a justiça, o Veredicto e a Colônia Penal. São Paulo: Perspectiva, 2012.

SOUZA, R. T., Ética do escrever: Kafka, Derrida e a Literatura como crítica da violência. Porto Alegre: Zouk, 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2020.1.36648

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS