O problema da relação todo-partes na lógica da essência de Hegel

Federico Orsini

Resumo


O objetivo do meu artigo é apresentar a relação todo-partes no contexto da Doutrina da Essência (1813) de Hegel. Depois de ter indicado sucintamente a variedade de contextos em que essa relação ainda está debatida hoje em dia, tanto fora como dentro da interpretação da filosofia hegeliana, analisarei o contexto específico da primeira subdivisão (A.) do terceiro capítulo (“A relação essencial”) da segunda seção (“O aparecimento”) da obra referida, analisando o argumento do texto e contextualizando o significado da Observação anexa. A relevância deste ensaio consiste em promover uma compreensão precisa de um par conceitual usado muitas vezes como um passe-partout hermenêutico para defender ou combater a filosofia de Hegel com base na suposta defesa hegeliana da primazia do todo sobre as partes. A tese (negativa) da lógica da essência é que tanto a primazia das partes sobre o todo como a primazia do todo sobre as partes são posições insustentáveis. Por fim, o argumento para essa tese envolverá um exame contextual da segunda antinomia da Crítica da Razão Pura.

Palavras-chave


Relação. Todo. Partes. Condição. Antinomia.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T.W. Skoteinos oder Wie zu lesen sei. In: Drei Studien zu Hegel (1963). Gesammelte Schriften. Band 5. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1970.

ARANTES, P. Hegel. A ordem do tempo. Tradução de Rubens Rodrigues Torres. São Paulo: Editora Hucitec, 2000.

BECKENKAMP, J. Ceticismo e Idealismo alemão. Com a tradução do texto de Hegel “Relação do ceticismo com a filosofia” (1802). Edições Loyola: 2019.

BIARD, J. et al. Introduction à la lecture de la Science de la logique de Hegel. II La Dcotrine de l’essence. Paris: Aubier Montaigne, 1983. p. 246-256.

BERTO, F., PLEBANI, M. Ontology and Metaontology: A Contemporary Guide. Bloomsbury Academic: 2015.

BRANDOM, R. Articulating Reasons. An Introduction to Inferentialism. Harvard University Press, 2001.

CHIEREGHIN, F. Il Parmenide di Platone alle origini della dialettica hegeliana, Verifiche, v. XXIV, n.3-4, 1995, pp.243-271.

CORTI, L. Ritratti hegeliani. Un capitolo della filosofia americana contemporanea. Roma: Carocci, 2014.

FERRARIN, A. Hegel and Aristotle. Cambridge: Cambridge University Press, 2001. https://doi.org/10.1017/CBO9780511498107

FERRARIN, A. Il pensare e l’io. Hegel e la critica di Kant. Roma: Carocci, 2016.

HEGEL, G.W.F. Das Verhältnis des Skeptizismus zur Philosophie. In: Werke in zwanzig Bänden (=W). MOLDENHAUEr E., Michel M. (org.). Band 2. Jenaer Schriften, pp. 213-272. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1969.

HEGEL, G.W.F. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em Compêndio (1830). Tradução de Paulo Meneses. São Paulo: Edições Loyola, 1995. Vol. 1. Ciência da Lógica.

HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 1. A Doutrina do Ser. Petrópolis: Vozes, 2016.

HEGEL, G.W.F. Ciência da Lógica. 2. A Doutrina da Essência. Petrópolis: Vozes, 2017.

HEIDEMANN, D. Die Lehre vom Wesen. Zweiter Abschnitt. Die Erscheinung. In: QUANTE, Michael, MOOREN, Nadine (Hgg.). Kommentar zu Hegels Wissenschaft der Logik. Hegel-Studien, Beiheft 67. Hamburg: Meiner, 2018, p. 325-386.

IBER, C. Metaphysik absoluter Relationalität. Eine Studie zu den beiden ersten Kapiteln der Wesenslogik. De Gruyter: 1990. https://doi.org/10.1515/9783110872866

JARCZYK, G. Monisme oui, monisme non. In: HEGELIANA, P.J.; LABARRIÈRE, Jarczyk, G. (org.) Paris: PUF, 1986. p. 347-361.

KREINES, J. Reason in the World. Hegel’s Metaphysics and Its Philosophical Appeal. London-New York: Oxford University Press, 2015. https://doi.org/10.1093/acprof:oso/9780190204303.001.0001

ORSINI, F. “Donde vêm os múltiplos? A análise do uno na lógica do ser para si. In: BAVARESCO, A; PERTILLE, J.; MIRANDA, L.M.; TAUCHEN, J. (org.).Leituras da Lógica de Hegel. Porto Alegre: Editora Fi, 2017, p. 163-182.

PIPPIN, R. Hegel’s Realm of Shadows. Logic as Metaphysics in the Science of Logic. Cambridge: Cambridge University Press, 2019. https://doi.org/10.7208/chicago/9780226588841.001.0001

SCHÄFER, R. Die Dialektik und ihre besondere Formen in Hegels Logik. Hegel-Studien. Beiheft 45. Hamburg: Meiner, 2001.

SCHMIDT, K. Georg W.F. Hegel. Wissenschaft der Logik – Die Lehre vom Wesen. Ein einführender Kommentar. Paderborn, München, Wien, Zürich: Ferdinand Schöningh, 1997.

WINFIELD, R.D. Hegel’s Science of Logic. A Critical Rethinking in Thirty Lectures. New York: Rowman&Littlefield. 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2020.1.34836

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS