Kant e Rawls: uma análise dos pressupostos morais do liberalismo político

Douglas João Orben

Resumo


À luz das reformulações conceituais acerca dos pressupostos filosóficos aceitos por Rawls no desenvolvimento de sua teoria da justiça, o presente artigo objetiva questionar a ideia de autossustentabilidade do âmbito político, como exposto em Political Liberalism (1993), evidenciando alguns pressupostos morais não explicitados pelo autor. A partir de um acordo semântico proposto por Rainer Forst, o qual diferencia os âmbitos de aplicação do ético, do político e do moral, pretende-se demostrar que há uma fundamentação moral no liberalismo político, a qual, todavia, não deve ser entendida no sentido ético. Propõe-se que esse pressuposto moral encontra-se na razão prática kantiana, pois é daí que Rawls parte para estruturar e fundamentar a sua concepção de justiça. Com isso, os princípios do liberalismo político rawlsiano, para que possam ser efetivos quando aplicados à estrutura básica da sociedade, devem ser analisados mediante os elementos morais da razão prática kantiana.

Palavras-chave


Ética; Moral; Política; Razão prática.

Texto completo:

PDF

Referências


DWORKIN, Ronald. Levando os direitos a sério. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

ESTLUND, David. The insularity of the reasonable: why political liberalism should admit the truth. Ethics, v. 108, n. 2, p. 252-275, 1998.

FORST, Rainer. Kontext der Gerechtigkeit: Politische Philosophie jenseits von Liberalismus und Komunnitarismus. Frankfurt: Suhrkamp, 1994.

FORST, Rainer. Contextos da justiça. Tradução Denilson Luís Werle. São Paulo:Boitempo, 2010.

FREEMAN, Samuel (Org.). The Cambridge Companion to Rawls. New York: Cambridge University Press, 2003.

FREEMAN, Samuel. Rawls: Routledge Philosophers. Londres: Routledge, 2007.

HAMPTON, Jean. Political philosophy. Boulder: Westview Press, 1996.

HEGEL, G. Principios de la filosofia del derecho o derecho natural y ciencias políticas. Tradução de Juan Luis Vermal. Buenos Aires: Sudamericana, 1975.

KANT, Immanuel. Crítica da Razão Pura. 5. ed. Trad. Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: Editora Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

KANT , Immanuel. Crítica da Razão Prática. 3. ed. Tradução Valério Rohden. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

KANT , Immanuel. Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Tradução Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 2007.

KANT , Immanuel. Grundlegung zur Metaphysik der Sitten. Erlagen: Fischer, 1984.

KERSTING, Wolfng. John Rawls zur Einführung. 2ª. Ed. Hamburg: Junius Verlag, 2004.

KERSTING, Wolfng. Spannungsvolle Rationalitätsbegriffe in der politischen Philosophie von John Rawls. In: APEL, K. O.; KETTNER, M. (org.). Die eine Vernunft und die vielen Rationalitäten. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1996. p. 227-265.

LARMORE, Charles. The Autonomy of Morality. Cambridge: Cambridge, 2008.

MAHONEY, Jon. Public reason and the moral foundation of political liberalism. In: BROOKS, T.; FREYENHAGEN, F. (Eds.) The legacy of John Rawls. New York: Continuum Books, 2007. p. 85-106.

O’NEIL, Onora. Constructions of reason: explorations of Kant’s practical philosophy. Cambridge University Press, 1989.

O’NEIL, Onora. Constructivism in Rawls and Kant. In: FREEMAN, S. (org.). The Cambridge Companion to Rawls. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. p. 347-367.

PATON, H. The Categorical Imperative: A study in Kant’s Moral Philosophy. London: Hutchinson’s University Library, 1947.

RAWLS, John. A Theory Justice. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 1971.

RAWL S, John. História da filosofia moral. Tradução Ana Aguiar Cotrim. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

RAWL S, John. Justiça e Democracia. Tradução Irene A. Paternot. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

RAWLS, John. Kantian Constructivism in Moral Theory. In: FREEMAN, S.(org.). Collected Papers. Cambridge (Massachusetts): Harvard UniversityPress, 1999. p. 303-358.

RAWL S, John. Lectures on the History of Moral Philosophy. 2. ed. Cambridge (Massachusetts): Harvard University Press, 2003.

RAWL S, John. O liberalismo político. Tradução Álvaro de Vita. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

RAWLS, John. Political Liberalism. New York: Columbia University Press, 1993.Paperback edition, 1996.

RAWL S, John. Uma teoria da justiça. Tradução A. Pisetta e L. M. R. Esteves. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

WEBER, Thadeu. Fundamentação moral do liberalismo político de Rawls. In. [email protected] - Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, v. 15, n. 3, p. 398 – 417. Dez. 2016.

WENAR, Leif. Political liberalism: an internal critique. In: Ethics, v. 106, p. 32-62, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2019.3.34658



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS