Direitos culturais e tolerância: um diálogo entre Habermas e Forst como pressuposto para uma teoria da justiça

Marcio Renan Hamel

Resumo


Por meio de uma análise reconstrutiva da filosofia político-jurídica de Jürgen Habermas e de Rainer Forst, bem como com auxílio de literatura secundária, são analisados os conceitos de direitos culturais e tolerância. O objetivo da presente pesquisa é visualizar como Habermas e Forst desenvolvem os referidos conceitos. Para este fim, o artigo é dividido em duas seções, a partir de uma justificativa introdutória da investigação dos objetivos traçados. A primeira seção trata da questão que envolve os direitos culturais, seu significado, evolução e maneira de efetivar sua garantia. A segunda seção aborda o conceito de tolerância, que Habermas trabalha enquanto necessidade procedimental a partir de direitos subjetivos a iguais liberdades de ação, enquanto Forst o trabalha a partir de uma concepção como respeito ao outro, em que será essencial o princípio de justificação da justiça, amparado no uso público da razão. Ao final, as últimas considerações apontam para o fato de que Habermas mantém seu edifício teórico da década de 1990, trabalhando a possibilidade de tolerância e a garantia de direitos culturais a partir de procedimentos democráticos e de justiça política, nos quais normas e leis devem ser racionalmente aceitas em uma cultura política compartilhada. Já Forst busca um rumo prático-normativo, em que a razão prática requer pessoas razoáveis e autônomas moralmente, trabalhando a necessidade de justificação por via procedimental.


Palavras-chave


Direitos culturais. Justiça. Multiculturalismo. Tolerância.

Texto completo:

PDF

Referências


AUDARD, Catherine. Cidadania e democracia deliberativa. Tradução: Walter Valdevino. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

ARROYO, Juan Carlos Velasco. La teoria discursiva del derecho. Sistema jurídico y democracia em Habermas. Tradução: Mauro Victoria Soares. Madrid: Boletín Oficial del Estado, 2000.

FORST, Rainer. Os limites da tolerância. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 84, p. 15-29, 2009.

https://doi.org/10.1590/s0101-33002009000200002

FORST, Rainer. The Basic Right to Justification: Toward a Constructivist Concepcion of Human Rights. Constellation, Oxford, v. 6, n. 1, p. 35-60, 1999.

HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro: estudos de teoria política. Tradução: George Sperber e Paulo Astor Soethe. São Paulo: Loyola, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Entre naturalismo e religião: estudos filosóficos. Tradução: Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2007.

HABERMAS, Jürgen. Faktizität und Geltung: Beiträge zur Diskurstheorie des Rechts und des demokratischen Rechtsstaats. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1992.

https://doi.org/10.1007/978-3-531-90400-9_39

MELO , Rúrion. Crítica e justificação em Rainer Forst. Cadernos de Filosofia Alemã, São Paulo, n. 22, p. 11-30, jul./dez. 2013.

https://doi.org/10.11606/issn.2318-9800.v1i22p11-30

TAYLOR, Charles. Multiculturalismo. Examinando a política de reconhecimento. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

TOURAINE, Alain. Um novo paradigma: para compreender o mundo hoje. Tradução: Gentil Avelino Titton. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

WERLE, Denilson Luis. Justiça e democracia: ensaios sobre John Rawls e Jürgen Habermas. São Paulo: Singular: Esfera Pública, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2019.1.26419



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


ISSN-L: 0042-3955 | e-ISSN: 1984-6746


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada. Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS