A concepção de alma em Avicena: não apesar de Aristóteles e, sim, através de Aristóteles

Antonio Carlos de Madalena Genz

Resumo


No artigo, analisa-se a concepção de alma de Avicena (Ibn Sina), apresentada no Livro da alma, com particular atenção ao experimento do Homem Suspenso no Espaço (HSE) e as questões derivadas a partir do mesmo. Essas dizem respeito ao vínculo de Avicena com o aristotelismo ou o neoplatonismo, as duas principais
influências filosóficas sobre o autor. Embora utilize principalmente conceitos aristotélicos, com o mencionado experimento Avicena rompe com a concepção aristotélica da alma, afirmando a estrita substancialidade dessa última. No artigo, busca-se mostrar que, não obstante a noção de substancialidade ser estranha ao quadro aristotélico, ainda assim Avicena é mais bem compreendido, quanto à
doutrina da alma, se visto pela ótica aristotélica, e não por uma ótica
neoplatônica.


Palavras-chave


Avicena. Alma. Aristotelismo. Neoplatonismo. Substância.

Texto completo:

PDF

Referências


IBN SINA (AVICENA). Livro da Alma. Tradução do árabe, introdução, notas e glossário de Miguel Attie Filho. São Paulo: Globo, 2011.

ATTIE FILHO, M. O intelecto no Livro da Alma de Ibn Sina (Avicena). Tese de Doutorado. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2004.

BLACK, D. “Avicenna on Self-Awareness and Knowing that One Knows”. In: RAHMAN, Sh.; TAHIRI, H.; STREET, T. (Eds.). The Unity of Science in the Arabic Tradition. Dordrecht: Springer, 2008, p. 63-87.

GUERRERO, R. Ramon. El pensamiento filosófico árabe. Madrid: Editorial Cincel, 1985.

GUTAS, D. Avicenna and the Aristotelian Tradition. Introduction to Reading Avicenna’s Philosophical Works. Leiden: Brill, 1988.

HASSE, D. N. Avicenna’s “De anima” in the Latin West. The Formation of a Peripatetic Philosophy of the Soul 1160-1300. London – Turin: The Warburg Institute – Nino Aragno, 2000.

LIZZINI, O. Avicenna. Roma: Carocci Editore, 2012.

______. “L’âme chez Avicenne: quelques remarques autour de son statut épistémologique et de son fondement métaphysique”. In: Documenti e studi sulla tradizione filosofica medievale, 21 (2010), p. 223-242.

______. “Vie active, vie contemplative et philosophie chez Avicenne”. In: TROTTMANN, Ch. (Ed.). Vie active et vie contemplative au Moyen Âge et au seuil de la Renaissance.

Roma: École Française de Rome, 2009, p. 207-239. SEBTI, M. Avicenne: l’âme humaine. Paris: Presses Universitaires de France, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-6746.2014.3.22781

 ISSN-L: 0042-3955

e-ISSN: 1984-6746

 

Veritas - Revista de Filosofia da PUCRS

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

 

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS