A ciência da conservação do Estado: Hobbes e a questão da dissolução e manutenção do Estado político moderno

Cláudio R.C. Leivas

Resumo


A questão da dissolução e manutenção do Estado é um aspecto da filosofia política de Hobbes que ainda não mereceu um exame na mesma extensão e importância geralmente atribuídas a outros temas pertencentes aos seus escritos políticos. Evidencio neste estudo a preocupação do filósofo inglês em mostrar que a ciência de conservar Estados possui o mesmo valor e calibre científico filosófico do que a ciência de construir Estados. A divisão tripartite deste estudo tem como propósito investigar, primeiro, as causas e os personagens associados à dissolução do Estado, depois, os preceitos e artifícios relacionados à manutenção do Estado e, por fim, os atos de hostilidades (traição e espionagem, por exemplo) que necessitam ser conhecidos e combatidos pelo representante soberano porque afrontam e contradizem o imperativo de segurança salus populi suprema lex (a segurança do povo é lei suprema) e os princípios de razão que sustentam in totum a arquitetônica pública hobbesiana.

Palavras-chave


Vontade. Paixão. Medo. Contrato.

Texto completo:

PDF (em inglês)


 ISSN-L: 0042-3955

e-ISSN: 1984-6746

 

Veritas - Revista de Filosofia da PUCRS

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

 

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS