O CONCEITO DE LIBERDADE NA ANTROPOLOGIA FILOSÓFICA DE LIMA VAZ

Paulo César Nodari, Gerson Bartelli

Resumo


Este artigo apresenta o conceito de liberdade na antropologia filosófica de Henrique Cláudio de Lima Vaz. Ao enfatizar que sua antropologia é personalista, Lima Vaz estabelece, dialeticamente, a forma em que o sujeito, enquanto livre e racional, se autorrealiza como pessoa. Vista a problemática a partir da modernidade acerca da liberdade, a ênfase será dada à liberdade como aspecto essencial à constituição unitária da pessoa. Essa constituição é o ato total e profundo da essência humana. À luz da antropologia filosófica de Lima Vaz, mostrar-se-á, portanto, que a liberdade é o bem que deve conduzir o ser humano em sua tarefa e desafio de se autor-realizar como pessoa.

Palavras-chave


Liberdade. Pessoa. Bem. Transcendência. Vida segundo espírito. Realização.

Texto completo:

PDF


ISSN-L: 0103-314X

e-ISSN: 1980-6736



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS