"Nisi credideritis, non intelligetis": a inteligência da fé em Santo Agostinho

Daniel Ribeiro de Almeida Chacon

Resumo


O objetivo deste artigo consiste em elucidar o problema da inteligência da fé cristã a partir de Santo Agostinho. Nesse sentido, o bispo de Hipona realizou uma síntese pela dialética que pode ser compreendida a partir da máxima credo ut intelligam, intelligo ut credam. O método proposto neste labor acadêmico será o da revisão bibliográfica. As considerações desenvolvidas nesta pesquisa situam-se na perspectiva de que a conciliação proposta por Santo Agostinho consiste em pensar a relação entre fé e razão, sem, contudo, pressupor uma rejeição arbitrária da fé ou uma atitude irracionalista frente a este drama. No horizonte dessa síntese, no entanto, o problema da racionalidade da fé não se resolve umariamente; antes, para além de uma simples discussão restrita à antiguidade tardia, o esforço de elucidação da inteligência da fé é ainda um complexo dilema para a inteligência contemporânea.


Palavras-chave


Santo Agostinho. Fé. Razão. Intellectus fidei.

Texto completo:

PDF

Referências


BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Almeida Século 21. São Paulo: Vida Nova; Hagnos, 2008.

BÍBLIA. Português. Bíblia de Jerusalém. Nova edição, revista e ampliada. São Paulo: Paulus, 2002.

BRACHTENDORF. Johannes. Confissões de Agostinho. Tradução de Milton Camargo Mota. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

CABA, Pedro. La filosofía del conocimiento en san Agustín. Augustinus, La Rioja, v. 3, p. 215-226, 1958.

CUNHA, Mariana Paolozzi Sévulo da. Santo Agostinho: fé e razão na busca da verdade. Perspectiva Teológica, Belo Horizonte, ano 44, n. 124, p. 415-427, set./dez. 2012.

DU ROY, Oliver. L’intelligence de la foi en la Trinité selon Saint Augustin: genèse de sa théologie trinitaire jusqu’en 391. Paris: Institut d’Éstudes Augustiniennes, 1966.

FITZGERALD, Allan D. Diccionario de San Agustín: San Agustín a través del tiempo. Burgo: Editorial Monte Carmelo, 2001.

GILSON, Étienne. Introdução ao estudo de Santo Agostinho. Tradução de Cristiane Negreiros Abbud Ayoub. 2.ed. São Paulo: Discurso Editorial; Paulus, 2010.

______. L’avenir de la métaphysique augustinienne: Mélanges Augustiniens: Paris, 1931.

JOÃO PAULO II. Fides et ratio. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_14091998_fides-et-ratio.html. Acessado em: 8 mar, 2014.

KOCH, Isabelle. Sobre a definição agostiniana de crença. Tradução de Luiz Marcos da Silva Filho e Moacyr Novaes. Síntese, Belo Horizonte, v. 42, n. 132, p. 15-24, 2015.

LANCEL, Serge. Saint Augustin. Paris: Arthème Fayard, 1999. LIMA VAZ, Henrique Cláudio. A metafísica da interioridade: Santo Agostinho. In: LIMA VAZ, Henrique Cláudio. (Org.). Ontologia e história. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1968.

p. 93-106.

MARROU, Henri-Iréné. Saint Augustin et la fin de la culture antique. Paris: E. DeBoccard, 1938.

MATTHEWS, Gareth B. Fé e razão. In: Santo Agostinho: a vida e as ideias de um filósofo adiante de seu tempo. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007. p. 135-148.

MORA, José Ferrater. Dicionário de filosofia. Tradução de Maria Stela Gonçalves et al. São Paulo: Loyola, 2001.

NOVAES FILHO, Moacyr Ayres. A razão em exercício: estudos sobre a filosofia de Agostinho. 2. ed. São Paulo: Discurso Editorial; São Paulo: Paulus, 2009.

PEGUEROLES, Juan. El pensamiento filosófico de San Agustín. Barcelona: Labor, 1972.

ROSA, José Maria Silva. A credibilidade da fé: fenomenologia da existência crente. In: A Transmissão do património cultural e religioso. Lisboa, Edições Paulinas, 2005. p. 7-30.

RODRÍGUEZ, P. Hermínio. Introducción. In: Obras de San Agustín: obras apologéticas. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1948. Tomo IV, p. 791-792.

ROY, Olivier du. L’intelligence de la foi en la Trinité selon Saint Augustin: genèse de sathéologie trinitaire jusq’en 391. Paris: Etudes Augustiniennes, 1966.

SAN AGUSTÍN. Carta CXIX. In: Obras de San Agustín: Cartas. Edición bilingue. Traducción de Loppe Cilleruelo. 3. ed. Madri: Biblioteca de Autores Cristianos, 1986. Tomo VIII, p. 882-888.

______. Contra Fausto. In: Obras de San Agustín: Escritos antimaniqueos (2). Edición bilingue. Traducción de Pio Luis. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1993. Tomo XXXI.

______. De la utilidad de creer. In: Obras de San Agustín: obras apologéticas. Edición bilingue. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1948. Tomo IV, p. 829-899.

______. De la fé en lo que no se ve. In: Obras de San Agustín: obras apologéticas. Edición bilingue. Traducción de P. Herminio Rodríguez. Madrid: Biblioteca de Autores Cristianos, 1948. Tomo IV, p. 795-817.

______. Sermón XLIII. In: Obras de San Agustín: Sermones (1) 1-50. Edición bilingue. Traducción de Miguel Fuertes Lanero y Moises Mº Campos Madri: Biblioteca de Autores Cristianos, 1981. Tomo VII, p. 588-596.

______. Tratados sobre el Evangelio de San Juan. In: Obras de San Agustín. Edición bilingue. Traducción de Teofilo Prieto. Madri: Biblioteca de Autores Cristianos, 1955. Tomo XIII.

______. Tratados sobre el Evangelio de San Juan. In: Obras de San Agustín. Madri: Biblioteca de Autores Cristianos, 1965. Tomo XIV.

SANTO AGOSTINHO. Confissões: edição bilíngue. Tradução de Arnaldo do Espírito Sando, João Beato, Maria Cristina de Castro-Maia de Souza Pimentel. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2001.

______. A predestinação dos santos. In: Graça (III). Tradução de Frei Agustino Belmonte. São Paulo: Paulus, 2008. (Coleção Patrística).

______. Trindade – De Trinitate: edição bilíngue. Tradução de Arnaldo do Espírito Santo, Domingos Lucas Dias, João Beato, Maria Cristina de Castro-Maia de Souza Pimentel. Prior Velho: Paulinas, 2007.

STEAD, Chistopher. A filosofia na antiguidade cristã. Tradução de Odilon Soares Leme. São Paulo: Paulus, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-6736.2015.3.23607

ISSN-L: 0103-314X

e-ISSN: 1980-6736



Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS