Minorias étnicas e representações sociais: notas sobre a entrada do psicólogo social em uma comunidade Quilombola

Adriane Roso, Rosineia L. Gass, Daniela Orsato, Thiago Alves, Maurício M. Moraes

Resumo


As políticas públicas voltadas às comunidades remanescentes de Quilombos não respondem inteiramente às suas necessidades. Apresenta-se aqui parte de uma pesquisa etnográfica, cujo principal objetivo é investigar como os saberes e as práticas tradicionais, relacionados à saúde e à doença, de uma comunidade quilombola interagem com a (pós) modernidade. A análise das informações ancora-se na teoria das representações sociais (perspectivas socioculturais e dialógicas) e nos estudos sobre a ‘saúde da população negra’. A comunidade enfocada nesse estudo vivenciou experiências negativas com profissionais da saúde pesquisadores, o que impactou diretamente o nosso estudo. Para estabelecer um bom rapport e relacionamentos dialógicos, tivemos que (re) pensar nosso papel enquanto psicólogos sociais, nossos preconceitos e representações sociais. Somente a partir disso nos tornamos capazes de nos familiarizar com a comunidade e compreender suas práticas. Conclui-se que a pesquisa etnográfica, assim como seus múltiplos atravessamentos, representa um desafio à psicologia social.

Palavras-chave


Psicologia social; representações sociais; comunidades Quilombolas; etnografia.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.