Psicologia do Trabalho como Psicologia da Ação: O Aporte das Teorias da Atividade

Pedro F. Bendassolli

Resumo


O trabalho é um gênero de atividade no qual a ação desempenha papel fundamental. Tal ação implica o confronto do sujeito com os objetos de sua atividade, bem como com outros sujeitos, em contextos semioticamente mediados. Porém, ao longo da história da Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT), não raras vezes a ação foi reduzida à esfera do comportamento, seja na tradição comportamentalista propriamente dita, como também em versões cognitivistas – duas grandes influências nesse campo. O objetivo deste artigo é analisar o modo como a ação é conceptualizada nos modelos de desempenho no trabalho propostos na literatura da POT. Nossa hipótese é de que esses modelos, ao se debruçarem sobre o tema da ação, o fazem de modo restritivo e fragmentador. Como contrapartida a tais modelos, propomos a análise da ação a partir das teorias da atividade, as quais promovem deslocamentos teórico-metodológicos capazes de recuperar a dimensão mediada da ação no trabalho. Mostramos como as teorias da atividade em geral, e a clínica da atividade em particular, elevam a um outro patamar a discussão sobre o papel do trabalho no desenvolvimento psicológico e na saúde.

Palavras-chave


Ação no trabalho, clínica da atividade, psicologia do trabalho.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.