Políticas públicas entre o sujeito de direitos e o homo oeconomicus

Neuza Maria de Fátima Guareschi, Lutiane de Lara, Marcos Azambuja Adegas

Resumo


Este artigo discute os efeitos das políticas públicas na constituição do sujeito a partir das problematizações que o filósofo Michel Foucault possibilita ao campo da Psicologia Social. Para isso, tomamos as políticas públicas como uma ação do Estado para o investimento na vida da população. Esse investimento, a partir da Constituição Federal de 1988, no Brasil, se configuraria como o ideal de garantir os direitos civis, políticos, sociais, econômicos e culturais do cidadão. Fundamentamo-nos na discussão de Michel Foucault sobre a construção do Estado Moderno, pautado pela noção de biopolítica, para indicar que, nos atravessamentos da relação entre Estado e Neoliberalismo, emerge a figura do homo oeconomicus. Pontuamos que essa relação estabelece um conflito entre aquilo que são os direitos do sujeito e os interesses do mercado econômico e evidenciamos como isso afeta os modos de ser e viver, o que, no nosso entender, constitui hoje as práticas da Psicologia Social.

Palavras-chave


Psicologia social, políticas públicas e sujeito de direitos.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.