A construção social do presente: ética, estética e política

Juliane Tagliari Farina, Luciana Rodriguez Barone, Tania Mara Galli Fonseca, Vilene Moehlecke

Resumo


O presente texto busca inspiração na obra de Michel Foucault, para revirar o presente que habitamos, colocando em questão os modos de produção de subjetividade majoritários. A analítica do presente se coloca como estratégia para escapar das formas já estabelecidas e produzir uma conexão com as forças do Fora*, abrindo novas possibilidades de criação e expressão. Entendendo-se criação como a expressão de uma existência mais livre e conectada com o outro, em um exercício de construção estética da existência atravessado pela ética do cuidado de si. Assim, a problematização do presente é também uma discussão sobre a construção social do sujeito e dos modos de existência, onde o encontro com o Fora abre a possibilidade de produzirmos territórios de autoria que façam da própria morte do Eu a possibilidade de emergência de um sujeito de ação, ético e político, que se reiventa e se constrói como autor do mundo.

Palavras-chave


Foucault; tempo; subjetividade; sujeito ético-político.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.