Compreendendo a questão da saúde dos professores da Rede Pública Municipal de São Paulo

Márcia Siqueira de Andrade, Sandra Dias Simplício

Resumo


Buscou-se compreender, neste estudo, a questão da saúde do professor, relacionando-a a vida profissional. Para tal foram entrevistados 34 professores da rede municipal de São Paulo. A análise foi organizada em quatro momentos: estágio, início da carreira, a experiência e final da carreira. Foram identificadas três categorias que emergiram enquanto sintomas prejudiciais à saúde: exaustão emocional, despersonalização e diminuição da realização profissional. Os resultados indicam que a profissão docente exige conhecimentos que vão além daqueles adquiridos durante a formação. Indicam, ainda, que o processo saúde-doença é também construído no trabalho, espaço de construção da história individual e da identidade social. Sugere-se a discussão de políticas públicas que considerem a saúde do professor como aspecto fundamental para a qualidade da educação.

Palavras-chave


trabalho; saúde mental; professores.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.