Intervenções profissionais no contexto das deficiências

Juliana Unis Castan, Mônica Medeiros Kother Macedo

Resumo


Indivíduos com deficiências representam uma porcentagem considerável da população. Nos Estados Unidos, quase 20% da população civil, com mais 5 anos anos de idade, tem algum tipo de deficiência (U.S. Census Bureau, 2000). No Brasil, eles representam quase 15% da população (Bercovich, 2006). Para ajudar esses indivíduos a terem uma vida satisfatória, com significado e se tornarem membros produtivos da sociedade, profissionais da saúde e da educação devem estar preparados para atender as necessidades específicas dessa população. Três pilares constituem a base profissional: conhecimento, técnica e atitudes (Luecking, Fabian e Tilson, 2004). Esse artigo aborda, especialmente, a importância das atitudes, não só por sua relevância, mas, também, devido a sua aplicabilidade em diferentes profissões. O artigo inicia apresentando definições de deficiência, seguidas de dados estatísticos dos Estados Unidos e do Brasil a respeito de sujeitos com deficiências. Também, são abordados os dois pilares referidos de forma mais breve, enquanto o terceiro é explorado com mais profundidade. Finaliza-se o artigo mencionando pesquisas a respeito das deficiências, assim como propondo aspectos a serem mais estudados nesta temática.

Palavras-chave


disability; helping relationship; professional intervention

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.