Autopercepção no Rorschach de vítimas de abuso sexual infantil

Silvana Alba Scortegagna, Anna Elisa de Villemor-Amaral

Resumo


Este estudo teve como objetivo buscar a validade do Rorschach em vítimas de abuso sexual. Participaram 76 indivíduos, de ambos os sexos, com idades entre 10 e 14 anos, do ensino fundamental e médio, com nível socioeconômico médio-baixo, divididos em dois grupos distintos, um grupo de vítimas e outro de não-vítimas. Foram utilizados uma ficha sociodemográfica e o Rorschach no Sistema Compreensivo. O teste MANOVA revelou diferenças significativas entre os indicadores do Rorschach nas respostas de movimento inanimado m, e de conteúdo sangue B1. As respostas de conteúdo anatômico An, mórbido MOR, sexual Sx, e de qualidade formal FQ- demonstraram pontuações mais altas no grupo de vítimas. A presença de uma autopercepção distorcida e de uma autoestima rebaixada nas vítimas pode ser decorrente do processo de vitimização. Esses resultados são consistentes com estudos anteriores e apóiam a validade do uso do Rorschach na avaliação de vítimas de abuso sexual.

Palavras-chave


avaliação psicológica; sistema compreensivo; evidência de validade; crianças e adolescentes; saúde pública.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623

ISSN-L: 0103-5371

*********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2018 EDIPUCRS