Práticas emergentes em psicologia: atuação com agentes comunitários de saúde

Pamela Staliano, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de Araujo, Angela Elizabeth Lapa Coêlho

Resumo


Nas últimas décadas, constatam-se iniciativas visando ampliar a atuação em saúde pública, incluindo-se ações de natureza comunitária. Considerando o interesse destas práticas emergentes, realizou-se um levantamento dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) sobre intervenções com Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), do Município de Campo Grande, MS. A análise apontou que os objetivos norteadores das propostas são sensibilizar para promoção e prevenção em saúde e estimular troca de experiências. Destacam-se o uso de técnicas de dinâmica de grupo e metodologias participativas. Os temas mais abordados envolvem relacionamento interpessoal, comunicação, auto-estima, desvalorização profissional, rotina de trabalho, resolução de conflitos, integração, estresse, depressão e papel do ACSs. Verificou-se que a insuficiência na comunicação é percebida como um fator que compromete a implementação de práticas humanizadas em saúde. Também foram ressaltados entraves nas relações interpessoais com supervisores e gerentes e outros ACSs. Sugerem-se levantamentos semelhantes com o propósito de sistematizar e aperfeiçoar práticas existentes.

Palavras-chave


saúde pública, agente comunitário de saúde, intervenção

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.