O grau zero da incomensurabilidade. A Teoria do Ator-Rede como caixa de ferramentas

Carlos Silva

Resumo


Em 1972, Gilles Deleuze disse que uma teoria é exatamente como uma caixa de ferramentas. Trinta e seis anos depois, um professor da Universidade Autônoma de Barcelona, experto em Teoria do Ator-Rede [ANT], afirmou que esta não deveria tomar-se como um corpo sistemático de conhecimentos, isto é, como uma teoria, mas como uma caixa de ferramentas. Com o fim de constatar a atualidade dessa afirmação, decidi acercar-me a três artigos baseados na ANT. Escolhi os artigos usando de um motor de busca na Internet, o qual pudesse considerar-se o substituto pós-moderno da seleção ao acaso. Assim, em primeiro lugar, apresento uma visão geral de alguns dos princípios da ANT. Em segundo lugar, desdobro minha leitura dos artigos a partir da descrição densa de alguns conceitos da ANT. Finalmente, concluo que a metáfora da caixa de ferramentas é na verdade uma prática que permite se aproximar a diferentes esferas do saber, incluindo a psicologia social, além de qualquer postulado de incomensurabilidade.

Palavras-chave


Teoria do ator-rede; descrição densa; caixa de ferramentas; incomensurabilidade; mediador.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.