Heterogeneidade dos déficits cognitivo e motor na esclerose múltipla: um estudo com a MSFC

Eduardo de Paula Lima, Jussara Lima Rodrigues, Alina Gomide Vasconcelos, Marco Aurélio Lana-Peixoto, Vitor Geraldi Haase

Resumo


As manifestações neuropsicológicas da esclerose múltipla (EM) são heterogêneas, dificultando a identificação de pacientes com comprometimento cognitivo. A análise de conglomerados foi usada para discriminar um grupo de 40 pacientes com EM e de 48 controles demograficamente comparáveis, usando as três medidas que compõem a Multiple Sclerosis Functional Composite Measure (MSFC): PASAT (cognição), Nine Hole Peg Test (motricidade manual) e Caminhada Cronometrada de 25 pés (deambulação). Quatro conglomerados foram observados. No primeiro, agregaram-se apenas participantes sem comprometimento. No quarto, foram classificados somente pacientes com comprometimentos cognitivo e motor. Tanto pacientes quanto controles mesclaram-se nos dois grupos intermediários, exibindo déficits cognitivos leves e moderados, respectivamente. As diferenças entre os conglomerados foram confirmadas por ANOVA. O desempenho cognitivo covariou com a idade e o nível de escolaridade. A maioria dos pacientes não se distinguiu dos controles, mas um grupo se destacou pelo comprometimento cognitivo e motor, os quais podem ser dissociáveis no início da doença.

Palavras-chave: esclerose múltipla; cognição; neuropsicologia; MSFC; análise de conglomerados.

Palavras-chave


esclerose múltipla; cognição; neuropsicologia; MSFC; análise de conglomerados

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.