Solidariedade competitividade e reflexão ética nos contextos da nova economia e da economia solidária

Henrique Caetano Nardi, Manoela Carpenedo Rodrigues

Resumo


O artigo visa a discutir as implicações éticas da inserção no mercado de trabalho no contexto da nova economia e da Economia Solidária. As análises do contexto sócio-econômico em voga usualmente contrapõem a solidariedade/associativismo à competitividade/individualismo. Buscando problematizar essa suposta oposição, investigamos como a solidariedade é compreendida por 40 jovens divididos/as em dois grupos: 20 trabalhadores/as inseridos em ocupações ligadas à telefonia móvel, à informática e internet e ao setor bancário pós-reestruturação e 20 trabalhadores/as vinculados a projetos de Economia Solidária e associativismo. Por meio de entrevistas inspiradas na abordagem biográfica e da resolução de um dilema ético buscamos entender quais os acontecimentos que marcam a vida destes/as jovens e influenciam as formas de inserção no laço social, do ponto de vista do trabalho e das relações sociais.

Palavras-chave


economia solidária, jovens; trabalho, subjetividade, autogestão

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.