Por uma psicologia comunitária como práxis de libertação

Léo Barbosa Nepomuceno, Verônica Morais Ximenes, Elívia Camurça Cidade, Francisco Weslay Oliveira Mendonça, Camila Alves Soares

Resumo


O presente artigo abrange temas importantes para o debate epistemológico dentro do campo da Psicologia Social, Psicologia Comunitária e ciências afins. Objetiva, através de levantamento bibliográfico, abordar contribuições da Psicologia Social da Libertação para a construção interdisciplinar da Psicologia Comunitária, ressaltando aspectos constituintes desta área e enfatizando elementos éticos e políticos, que favorecem a compreensão de uma práxis da libertação. A Psicologia Comunitária é entendida como fruto dos movimentos de mudança de paradigma científico-profissional, da forte demanda de mudança social advinda da realidade concreta da população e traz no seu cerne uma práxis de libertação. Entendemos que a Psicologia Social da Libertação vem trazer fortes influências para o desenvolvimento da Psicologia Comunitária, principalmente, no tocante ao fortalecimento de uma perspectiva de construção comunitária e científica de alta relevância social.

Palavras-chave


Psicologia Social da Libertação; Psicologia Comunitária; Práxis de Libertação

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.