Entender e envolver: avaliando dois objetivos de um programa para cuidadores de idosos com Alzheimer

Camila Rafael Ferreira Campos, Thaís Ramos de Carvalho, Elizabeth Joan Barham, Letícia Ribeiro Fernandes de Andrade, Angélica Sonego Giannini

Resumo


Intervenções efetivas são necessárias para ajudar familiares que cuidam de idosos com doença de Alzheimer (DA) a manejarem as dificuldades que surgem nessa situação. Neste estudo, foram avaliados dois objetivos de uma intervenção psicoeducativa, que visavam ajudar cuidadores familiares a: (a) entender formas construtivas de agir e (b) envolver o idoso com DA em atividades cotidianas. Participaram do programa 15 cuidadoras, que responderam um instrumento de conhecimentos e outro sobre comportamentos do idoso, em três momentos. Foram observados resultados significativos na aprendizagem de conceitos (t(13)=9,048; p<0,001; d=2,42) e em sua retenção, quando se comparou o follow-up com o pré-teste (t(10)=6,431; p<0,001; d=1,95). O uso de estratégias novas para contornar dificuldades dos idosos também foi mantido, um ano depois do término da intervenção. Assim, esse programa apresentou efeitos positivos para os cuidadores.


Palavras-chave


sobrecarga, intervenção, psicoeducação, habilidades sociais, enfrentamento de estresse.

Texto completo:

PDF

Referências


Anfara, V. A., Brown, K. M., & Mangione, T. L. (2002). Qualitative analysis on stage: Making the research process more public. Educational Researcher, 31(7), 28-38. doi:10.3102/0013189X031007028

Baptista, M. N., Teodoro, M. L. M, Cunha, R. V., Santana, P. R., & Carneiro, A. M. (2009). Evidência de validade entre o inventário de percepção de suporte familiar - IPSF e familiograma - FG. Psicologia: Reflexão e Crítica, 22(3), 466-473. doi:10.1590/S0102-79722009000300018

Barham, E. J., Pinto, F. N. F. R., Andrade, A. R., Lorenzini, M. F. J., & Ferreira, C. R. (2015). Fundamentos e estratégias de intervenção para a promoção de saúde mental em cuidadores de idosos. In S. G. Murta, C. Leandro-França, K. B. Santos, & L. Polejack (Eds.), Prevenção e Promoção em Saúde Mental: Fundamentos, Planejamento e Estratégias de Intervenção (pp. 844-862). Novo Hamburgo, RS: Sinopsys. (DOI INEXISTENTE)

Blanchard-Fields, F., Stein, R., & Watson, T. L. (2004). Age differences in emotion-regulation strategies in handling everyday problems. The Journals of Gerontology Series B: Psychological Sciences and Social Sciences, 59(6), 261-269. doi:10.1093/geronb/59.6.P261

Brodaty, H. & Donkin, M. (2009). Family caregivers of people with dementia. Dialogues in Clinical Neuroscience, 11(2), 217-228. (DOI INEXISTENTE)

Cesário, V. A. C., Leal, M. C. C., Marques, A. P. O., & Claudino, K. A. (2017). Estresse e qualidade de vida do cuidador familiar de idoso portador da doença de Alzheimer. Saúde em Debate, 41(112), 171-182. doi:10.1590/0103-1104201711214

Cruz, T. J. P., Sá, S. P. C., Lindolpho, M. C., & Caldas, C. P. (2015). Estimulação cognitiva para idoso com doença de Alzheimer realizada pelo cuidador. Revista Brasileira de Enfermagem, 68(4), 510-516. doi:10.1590/0034-7167.2015680319i

Dancey, C. P. & Reidy, J. (2019). Estatística sem Matemática para Piscologia. Porto Alegre, RS: Penso. (DOI INEXISTENTE)

Delalibera, M., Presa, J., Barbosa, A., & Leal, I. (2015). Sobrecarga no cuidar e suas repercussões nos cuidadores de pacientes em fim de vida: revisão sistemática da literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 20(9), 2731-2747. doi:10.1590/1413-81232015209.09562014

Delfino, L. L. & Cachioni, M. (2016). Estratégias comunicativas de cuidadores de idosos com demência: uma revisão sistemática. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 65(2), 186-195. doi:10.1590/0047-2085000000122

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P (2017). Competência Social e Habilidades Sociais: Manual Teórico-prático. Petrópolis, RJ: Vozes. (DOI INEXISTENTE)

Dornelles, A. R. A. (2010). Uma Intervenção Psicoeducativa com Cuidadores de Idosos com Demência (Dissertação de mestrado).

Recuperado de: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/6009. (DOI INEXISTENTE)

Faleiros, D. A. M. (2009). Cuidadores de Idosos com Doença de Alzheimer: Efeitos de Grupos Psico-educacionais e Suporte Domiciliar Individualizado (Dissertação de mestrado).

Recuperado de: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/3013. (DOI INEXISTENTE)

Freire, J. B. & Moreira, A. C. M. (2016). Cuidados em Domicílio: Conceitos e Práticas. In: Freitas, E.V., & Py, L. Tratado de Geriatria e Gerontologia. (pp. 1261-1266). Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan. (DOI INEXISTENTE)

Gitlin, L. N., Winter, L., Earland, T. V., Herge, E. A., Chernett, N. L., Piersol, C. V., & Burke, J. P. (2009). The Tailored Activity Program to reduce behavioral symptoms in individuals with dementia: Feasibility, acceptability, and replication potential. The Gerontologist, 49(3), 428-439. doi:10.1093/geront/gnp087

Golino, M. T. S. & Flores-Mendoza, C. E. (2016). Desenvolvimento de um programa de treino cognitivo para idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19(5), 769-785. doi:10.1590/1809-98232016019.150144

Gratão, A. C. M., Vendrúsculo, T. R. P., Talmelli, L. F. S., Figueiredo, L. C., Santos, J. L. F., & Rodrigues, R. A. P. (2012). Sobrecarga e desconforto emocional em cuidadores de idosos. Texto & Contexto – Enfermagem, 21(2), 304-312. doi:10.1590/S0104-07072012000200007

Gratão, A. C. M., Talmelli, L. F. S., Figueiredo, L. C., Rosset, I., Freitas, C. P., & Rodrigues, R. A. P. (2013). Dependência funcional de idosos e a sobrecarga do cuidador. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(1), 137-144. doi:10.1590/S0080-62342013000100017

Hashimoto, A., Matsuoka, K., Yasuno, F., Takahashi, M., Iida, J., Jikumaru, K., & Kishimoto, T. (2017), Frontal lobe function in elderly patients with Alzheimer's disease and caregiver burden. Psychogeriatrics, 17(4), 267-272. doi:10.1111/psyg.12231

Ilha, S., Backes, D. S., Santos, S. S. C., Gautério-Abreu, D. P., Silva, B. T., & Pelzer, M. T. (2016). Doença de Alzheimer na pessoa idosa/família: Dificuldades vivenciadas e estratégias de cuidado. Escola Anna Nery, 20(1), 138-146. doi:10.5935/1414-8145.20160019

Kelly, A. S., McGarry, K., Georges, R., & Skinner, J. S. (2015). The burden of health care costs for patients with dementia in the last 5 years of life. Annals of International Medicine, 163(10), 729-736. doi:10.7326/M15-0381

Leite, C., Menezes, T., Lyra, É., & Araújo, C. (2014). Conhecimento e intervenção do cuidador na doença de Alzheimer: uma revisão da literatura. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 63(1), 48-56. doi:10.1590/0047-2085000000007

Lopes, L. O. & Cachioni, M. (2012). Intervenções psicoeducacionais para cuidadores de idosos com demência: uma revisão sistemática. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 61(4), 252-261. doi:10.1590/S0047-20852012000400009

Lousa, E. F. C. F. (2016). Benefícios da Estimulação Cognitiva em Idosos: Um Estudo de Caso (Dissertação de mestrado). Recuperado de: http://repositorio.ismt.pt/handle/123456789/682 (DOI INEXISTENTE)

Luizzi, L. & Rose, T. M. S. (2010). Intervenções para a prevenção e redução de comportamentos agressivos e a formação de professores. Temas em Psicologia, 18(1), 57-69. (DOI INEXISTENTE)

Marim, C. M., Silva, V., Taminato, M., & Barbosa, D. A. (2013). Efetividade de programas de educação e suporte na redução da sobrecarga de cuidadores de idosos com demência: revisão sistemática [Edição especial]. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 21, 267-275. doi:10.1590/S0104-11692013000700033

Mota, M. M. P. E. D. (2010). Metodologia de pesquisa em desenvolvimento humano: Velhas questões revisitadas. Psicologia em Pesquisa, 4(2), 144-149. doi:10.24879/201000400200358

Neumann, S. M. F. & Dias, C. M. S. B. (2013). Doença de Alzheimer: o que muda na vida do familiar cuidador? Revista Psicologia e Saúde, 5(1), 10-17. (DOI INEXISTENTE)

Oliveira, D. C. & D'elboux, M. J. (2012). Estudos nacionais sobre cuidadores familiares de idosos: revisão integrativa. Revista Brasileira de Enfermagem, 65(5), 829-838. doi:10.1590/S0034-71672012000500017

Pinquart, M. & Sorensen, S. (2006). Helping caregivers of persons with dementia: Which interventions work and how large are their effects? International Psychogeriatrics, 18(4), 577–595. doi:10.1017/S1041610206003462

Pinto, F. N. F. R., Barham, E. J., & Del Prette, Z. A. P. (2016). Interpersonal conflicts among family caregivers of the elderly: The importance of social skills. Paidéia, 26(64), 161-170. doi:10.1590/1982-43272664201605

Rosenthal, J. A. (1996). Qualitative descriptors of strength of association and effect size. Journal of Social Service Research, 21(4), 37-59. doi:10.1300/J079v21n04_02

Rueda, F. J. M. & Zanon, C. (2016). Delineamento correlacional: Definições e aplicações. In M. N. Batista, & D. C. Campos (Eds.), Metodologias de Pesquisa em Ciências: Análises Quantitativa e Qualitativa (pp. 115-124). Rio de Janeiro, RJ: LTC. (DOI INEXISTENTE)

Sato, A. T., Batista, M. P. P., & Almeida, M. H. M. (2014). “Programas de estimulação da memória e funções cognitivas relacionadas”: opiniões e comportamentos dos idosos participantes. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, 25(1), 51-59. doi:10.11606/issn.2238-6149.v25i1p43-50

Strauss, A. & Corbin, J. (1994). Grounded theory methodology: An overview. In N. K. Denzin, & Y. S. Lincoln (Eds.), Handbook of Qualitative Research (pp. 1-18). Londres, Inglaterra: Sage.

Tomomitsu, M. R. S. V., Perracini, M. R., & Neri, A. L. (2014). Fatores associados à satisfação com a vida em idosos cuidadores e não cuidadores. Ciência & Saúde Coletiva, 19(8), 3429-3440. doi:10.1590/1413-81232014198.13952013

Weinbrecht, A., Rieckmann, N., & Renneberg, B. (2016). Acceptance and efficacy of interventions for family caregivers of elderly persons with a mental disorder: A meta-analysis. International Psychogeriatrics, 28(10), 1615-1629. doi:10.1017/S1041610216000806

Yuill, N. & Hollis, V. (2011). A systematic review of cognitive stimulation therapy for older adults with mild to moderate dementia: An occupational therapy perspective. Occupational Therapy International, 18(4), 163-186. doi:10.1002/oti.315




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2019.1.29444

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-8623

ISSN-L: 0103-5371

*********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS