Teoria da mente e habilidades sociais: estudo com crianças pré-escolares

Sara Del Prete Panciera, Ariane Caserta Zeller

Resumo


A forma como a criança se relaciona socialmente está ligada à maneira como ela compreende o mundo social e, nesse sentido, busca-se conhecer como as mudanças que ocorrem na compreensão social da criança impactam seu comportamento na relação com outras pessoas. Este estudo teve o objetivo de verificar a existência de correlação entre o desenvolvimento de habilidades sociais e o da teoria da mente em crianças pré-escolares. Participaram da pesquisa 30 crianças de 5 anos de idade e suas professoras. Para a avaliação da teoria da mente foi utilizada a Escala de Tarefas, e para a avaliação das habilidades socais foi usado o Questionário de Comportamentos Socialmente Adequados, na sua versão para professores. Os resultados não mostraram associação entre as variáveis, sugerindo que a teoria da mente pode estar ligada a comportamentos sociais sem se expressar ou estar diretamente relacionada a um conjunto de habilidades sociais positivas.


Palavras-chave


Teoria da mente; Habilidades sociais; Desenvolvimento sociocognitivo.

Texto completo:

PDF

Referências


Bolsoni-Silva, A. T. (2003). Habilidades Sociais Educativas, variáveis contextuais e problemas de comportamento: comparando pais e mães de pré-escolares (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Bolsoni-Silva, A. T. & Mariano, M. L. (2014). Práticas educativas de professores e comportamentos infantis, na transição ao primeiro ano do Ensino Fundamental. Estudos e pesquisas em psicologia, 14(3), 814-833. https://doi.org/10.12957/epp.2014.13912

Bolsoni-Silva, A. T., Marturano, E. M., & Manfrinato, J. W. S. (2005). Mães avaliam comportamentos socialmente “desejados” e “indesejados” de pré-escolares. Psicologia em Estudo, 10(2), 245-252. https://doi.org/10.1590/S1413-73722005000200011

Bolsoni-Silva A. T., Marturano, E. M., Pereira, V. A., & Manfrinato, J. W. S. (2006). Habilidades sociais e problemas de comportamento de pré-escolares: comparando avaliações de mães e professoras. Psicologia: Reflexão e Crítica, 19(3), 460-469. https://doi.org/10.1590/S0102-79722006000300015

Deleau, M. (2012). Language and theory of mind: why pragmatics matter. European Journal of Developmental Psychology, 9(3), 295-312. https://doi.org/10.1080/17405629.2012.680303

Del Prette, Z. A. P. (2005). Psicologia das habilidades sociais na infância: teoria e prática. Avaliação Psicológica, 4(1), 91-93.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2001). Habilidades Sociais: Intervenções efetivas em grupo. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Domingues, S. F. S., Valério, A., Panciera, S. D. P., & Maluf, M. R. (2007). Tarefas de crença falsa na avaliação de atribuição de estados mentais de crença. In P. W. Schelini (Org.). Alguns domínios da avaliação psicológica. Campinas: Alínea.

Dunn, J., Brown, J., & Beardsall, L. P (1991). Family Talk About Feeling States and Children's Later Understanding of Others' Emotions. Developmental Psychology, 27(3), 448-455. https://doi.org/10.1037/0012-1649.27.3.448

Freitas, L. B. L., O´Brien, M., Nelson, J. A., & Marcovitch, S. (2012). A Compreensão da Gratidão e Teoria da Mente em Crianças de 5 anos. Psicologia: Reflexão e Crítica, 25(2), 330-338. https://doi.org/10.1590/S0102-79722012000200015

Gomez-Garibello, C. & Talwar, V. (2015). Can you read my mind? Age as a moderator in the relationship between theory of mind and relational aggression. International Journal of Behavioral Development, 39(6), 552-559. https://doi.org/10.1177/0165025415580805

Hiller, R. M., Weber, N., & Young, R. L. (2014). The Validity and Scalability of the Theory-of-Mind Scale with Toddlers and Preschoolers. Psychological Assessment, 26(4), 1388-1393. https://doi.org/10.1037/a0038320

Kuntoro, I. A., Saraswati, L., Peterson, C., & Slaughter, V. (2013). Micro cultural influences on theory of mind develpments: a comparative study of middle-class and pemulung children in Jakarta, Indonesia. International Journal of Behavioral Development, 37(3), 266-273. https://doi.org/10.1177/0165025413478258

Martins, C., Barreto, A. L., & Castiajo, P. (2014). Teoria da mente ao longo do desenvolvimento normativo: Da idade escolar até à idade adulta. Análise Psicológica, 1(23), 377-392.

Morgan, G., Meristo, M., Mann, W., Hjelmquistc, E., Suriand, L., & Siegal, M. (2014). Mental state language and quality of conversational experience in deaf and hearing children. Cognitive Development, 29, 41-49. https://doi.org/10.1016/j.cogdev.2013.10.002

Nelson, K. (2007). Young minds in social worlds. UK: Harvard University Press. https://doi.org/10.4159/9780674041400

O'Reilly, J. & Peterson, C. C. (2014). Scaling theory of mind developments in indigenous- and anglo-australian toddlers and older children. Journal of Cross-Cultural Psychology, 45(9), 1489-1501. https://doi.org/10.1177/0022022114542285

Panciera, S. D. P. (2007). Linguagem e desenvolvimento da teoria da mente: um estudo com crianças de 3 a 5 anos (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Panciera, S. D. P. & Domingues, S. F. S. (2013). Pragmática da linguagem e representação de crença. In A. Roazzi & T. M. Sperb (Eds.). O desenvolvimento de competências sociocognitivas: novas perspectivas. São Paulo: Vetor.

Pavarini, G. & Souza, D. H. (2010). Teoria da mente, empatia e motivação pró-social em crianças pré-escolares. Psicologia em Estudo, 15(3), 613-622. https://doi.org/10.1590/S1413-73722010000300019

Pavarini, G., Loureiro, C. P., & Souza, D. H. (2011). Compreensão de emoções, aceitação social e avaliação de atributos comportamentais em crianças escolares. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(1), 135-143. https://doi.org/10.1590/S0102-79722011000100016

Pizato, E. C. G.,. Marturano, E. M., & Fontaine, A. M. G. V. (2014). Trajetórias de habilidades sociais e problemas de comportamento no ensino fundamental: influência da educação infantil. Psicologia: Reflexão e Crítica, 27(1), 189. https://doi.org/10.1590/S0102-79722014000100021

Repacholi, B. & Slaughter, V. (2004). Individual Differences in Theory of Mind. New York: Psychology Press. https://doi.org/10.4324/9780203488508

Rodrigues, M. C., Pelisson, M. C. C., Silveira, F. F., Ribeiro, N. .N., & Silva, R. L. M. (2015). Evaluation of theory of mind: A study with students from public and private schools. Estudos de Psicologia, 32(2), 213-220. https://doi.org/10.1590/0103-166X2015000200006

Ronald, A., Happé, F., Hughes, C., & Plomin, R. (2005). Nice and nasty theory of mind in preschool children: Nature and nurture. Social development, 14(4), 664-684. https://doi.org/10.1111/j.1467-9507.2005.00323.x

Shahaeian, A., Peterson, C. C., Slaughter, V., & Wellman, H. M. (2011). Culture and the sequence of steps in theory of mind development. Developmental Psychology, 47(5), 1239-1247. https://doi.org/10.1037/a0023899

Shahaeian, A., Nielsen, M., Peterson, C. C., & Slaughter, V. (2014). Iranian Mothers' Disciplinary Strategies and Theory of Mind in Children: A Focus on Belief Understanding. Journal of Cross-Cultural Psychology, 45(7), 1110-1123. https://doi.org/10.1177/0022022114534772

Stellwagen, K.. K. & Kerig, P. K. (2013). Ringleader Bullying: Association with Psychopathic Narcissism and Theory of Mind Among Child Psychiatric Inpatients. Child Psychiatry Hum Dev, 44, 612-620. https://doi.org/10.1007/s10578-012-0355-5

Sutton, J. (2004). Tom goes to school: Social cognition and social values in bullying. In B. Repacholi & V. Slaughter (Eds.). Individual Differences in Theory of mind. New York: Psychology Press. https://doi.org/10.4324/9780203488508

Wellman, H. M. & Liu, D. (2004). Scaling Theory of Mind Tasks. Child Development, 75(2), 523-541. https://doi.org/10.1111/j.1467-8624.2004.00691.x

Wimmer, H. & Perner, J. (1983). Beliefs about beliefs: representation and constraining function of wrong beliefs in young children's understanding of deception. Cognition, 13, 103-128. https://doi.org/10.1016/0010-0277(83)90004-5




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2018.2.28190

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.