Sintomas depressivos, de ansiedade e de estresse em habitantes de munícipio realocado por barragem

Franciele Luísa Pozzebon, Vinícius Renato Thomé Ferreira

Resumo


O aumento da necessidade de energia elétrica faz com que a instalação de usinas hidrelétricas seja um investimento importante; entretanto, os impactos ambientais e humanos decorrentes da instalação de barragens precisam ser apropriadamente avaliados. Buscou-se investigar a prevalência de sintomas depressivos, de ansiedade e de estresse de uma população que passou pelo processo de realocação devido à construção de uma barragem para usina hidrelétrica (n = 50) em comparação com um município onde não houve este processo (n = 50). Foi identificado que, vinte anos após a instalação da barragem e realocação do município, os escores de sintomas depressivos, de ansiedade e de estresse estão na faixa da população não clínica, e foram mais elevados no município de comparação do que no município onde a barragem foi instalada. Estudos sobre a instalação de barragens e realocação humana precisam considerar, além dos impactos ambientais, seus reflexos sobre a saúde mental das pessoas.


Palavras-chave


Barragem; Sintomas depressivos; Sintomas de ansiedade; Sintomas de estresse; Avaliação psicológica.

Texto completo:

PDF

Referências


American Psychiatric Association. (2014). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-5). Porto Alegre: Artmed.

Beck, A. T., Rush, A. J., Shaw, B. F., & Emery, G. (1997). Terapia cognitiva da depressão. Porto Alegre: Artmed.

Borges, R. S. & Silva, V. P. (2011). Usinas hidrelétricas no Brasil: a relação de afetividades dos atingidos com os lugares inundados pelos reservatórios. Caminhos da geografia, 12(40), 222-231.

Bronfenbrenner, Urie. (2002). A Ecologia do Desenvolvimento Humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artmed.

Carvalho, O. A. D. (2006). Água sobre terra: lugar e territorialidade na implantação de grandes hidrelétricas (Dissertação de mestrado). Recuperado de .

Celestino, V. S. & Phillips, J. W. & Rocha, R. S. (2008). O Reordenamento Territorial em Grandes Obras: O Caso da Cidade de Itá. II Simpósio Brasileiro de Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação. Recuperado de .

Costa, G. B., Locks, R., & Matos, D.. (2010). Análise do Relatório do Impacto Ambiental das Usinas Hidrelétricas no Rio Madeira no Município de Porto Velho/RO. V Encontro Nacional da Anppas. Recuperado de .

Dancey, C. P. & Reidy, J. (2013). Estatística sem matemática para psicologia. Porto Alegre: Penso.

Elementos Culturais da Área do Reservatório da Usina Hidrelétrica Itá – Ecau. (2001). O Trabalho e os Dias – histórias de vida de antigos moradores da área da barragem da UHE – Itá. Programa Arca de Noé – Eletrosul, 10-60.

Fioravanti, A. C. M., Santos, L. D. F., Maissonette, S., Cruz, A. P. D. M., & Landeira-Fernandez, J. (2006). Avaliação da estrutura fatorial da Escala de Ansiedade-Traço do IDATE. Avaliação Psicológica, 5(2), 217-224.

Ferreira, V. R. T. (2012). Levantamento da Intensidade de Sintomas Depressivos – LIS-D. Passo Fundo: não publicado.

Ferreira, V. R. T. (2015). Levantamento da Intensidade de Sintomas de Ansiedade – LIS-A. Passo Fundo: não publicado

Ferreira, V. R. T. (2015). Levantamento da Intensidade de Sintomas de Estresse – LIS-E. Passo Fundo: não publicado.

Fleck, M. P., Lousada, S., Xavier, M., Chachamovich, E., Vieira, G., Santos, L. & Pinzon, V. (2000). Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida WHOQOL-bref. Revista de Saúde Pública, 34(2), 178-183. http://dx.doi.org/10.1590/s0034-89102000000200012

Hall, F. & Mattos, T. (1984). Memória Itá. Itá, s/e.

Hauck, N. F. & Teixeira, M. A. P. (2011). A estrutura fatorial da Escala CES-D em estudantes universitários brasileiros. Avaliação Psicológica, 10(1), 91-97.

Hermes, J. (2013). Aspectos Históricos e Culturais do Município de Itá/SC – Capacitação de Monitores Casa da Cultura. Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Departamento de Cultura. Itá, SC.

IBGE (2007). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Contagem da população (2007). Disponível em: .

Kedia, S. & Van Willigen, J. (2001). Effects of forced displacement on the mental health of older people in north India. Haley International Journal of Aging, 3(1), 81-83. .

Lancetti, A. & Amarante, P. (2006). Saúde mental e saúde coletiva. In Campos, G. W. D. S., Minayo, M. D. S., Akerman, M., Drumond Júnior, M., & Carvalho, Y. D. Tratado de saúde coletiva (pp. 615-634). São Paulo: Hucitec.

Lentine, E. C., Sonoda, T. K., & Biazin, D. T. (2003). Estresse de Profissionais de Saúde das Unidades Básicas do Município De Londrina. Terra e Cultura, 37, 103-123.

Levin, J. & Fox, J. A. (2004). Estatística para ciências humanas. São Paulo: Pearson.

Lopes, P. A. (1999). Probabilidade e estatística. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso.

Luft, C., Sanches, S., Mazo, G., & Andrade, A. (2007). Versão brasileira da escala de estresse percebido: tradução e validação para idosos. Rev. Saúde Pública, 41(4), 606-15. .

Magalhães, S. C. G. (2006). Estudo dos Impactos sociais e ambientais decorrentes dos projetos hidrelétricos de Jirau e Santo Antônio – Reflexões preliminares. Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente. Rondônia: Unir. PGDRA, 1-15.

Mendonça, L. (2011). O legado das hidrelétricas. O Setor Elétrico (São Paulo), (68), 1.

Passos, R. M. & Praxedes, N. (2013). Reinserção em Nova Mutum Paraná e Condições de Vida dos Atingidos pela Construção da Hidrelétrica de Jirau em Rondônia. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, 5(1), 1-12.

Pinto, L. C. (2012). Os projetos hidrelétricos como causa dos deslocamentos populacionais: migrações forçadas

em nome do desenvolvimento. Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa. (pp. 1-123).

Pirta, R., Chandel, N., & Pirta, C. (2014). Attachment and Displacement: The Resettlers of Bhakra Dam are Hurt. Psychological Studies, 59(1), 1-10. http://dx.doi.org/10.1007/s12646-013-0211-0

Relocação da Sede Municipal de Itá. (1984). Plano de Mudança. Itá.

Rodrigues, A. L. & França, A. C. L. (2010). Uma perspectiva psicossocial em psicossomática via estresse e trabalho. In Mello Filho, J. (Org.). Psicossomática Hoje (Cap. 10, pp. 112-134). Rossouw, N. (2008). Verifying the social impacts of the Berg river dam: An ex-post analysis. International Association of Impact Assessment. Recuperado de: .

Sadock, B. J., Sadock, V. A., & Ruiz, P. (2017). Compêndio de Psiquiatria: Ciência do Comportamento e Psiquiatria Clínica. Porto Alegre: Artmed.

Sequeira, A. & Silva, M. N. (2002). O bem estar da pessoa idosa no meio rural. Análise Psicológica, 20(3), 505-516.

Skinner, B. F. (2003). Ciência e comportamento humano. São Paulo: Martins Fontes.

Silveira, D. X. da & Jorge, M. R. (1998). Propriedades psicométricas da escala de rastreamento populacional para depressão CES-D em populações clínica e não-clínica de adolescentes e adultos jovens. Revista de Psiquiatria Clínica, 25(5), 251-261.

Souza, W. L. (2000). Impacto Ambiental de Hidrelétricas: Uma Análise Comparativa de Duas Abordagens. Rio de

Janeiro: UFRJ. Tractebel Energia – GDF Suez. (2015). UHE Itá. Itá.

Vainer, C. & Vieira, F. B. (2005). Movimento dos Atingidos por Barragens. Manual do atingido: Uma história de organização e luta. Laboratório Estado, Trabalho, Território e Natureza/ Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional. Rio de Janeiro: UFRJ.

Viana, R. M. (2003). Grandes Barragens, Impactos e Reparações: Um Estudo De Caso Sobre A Barragem De Itá. Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional. Rio de Janeiro: UFRJ.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2018.2.26984

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.