Dimensões do sofrimento psíquico em estudantes universitários estrangeiros

Júlia de Freitas Girardi, Lucienne Martins-Borges

Resumo


Os estudantes universitários estrangeiros fazem parte da categoria de imigrantes voluntários, que se desloca para realizar a formação superior em outro país. O processo imigratório acarreta uma série de desafios e não deixa de ter consequências no psiquismo dos sujeitos. Dessa forma, objetivou-se apresentar e discutir características do sofrimento psíquico desses estudantes estrangeiros residentes em Florianópolis. Para tanto, produziu-se uma pesquisa qualitativa na qual os dados foram coletados a partir de entrevistas semiestruturadas com 15 participantes. Os dados foram analisados por meio da técnica de análise de conteúdo, com suporte do software Atlas.ti. Assim, foi possível distinguir três subcategorias de análise: sintomas físicos, sociais e psicológicos. Observou-se um alto índice de somatizações, experiências de discriminação e relatos de sentimento de não pertencimento. Em conclusão, ressalta-se a necessidade de se refletir sobre formas de amenizar o sofrimento e de pensar em programas específicos para essa população, principalmente no contexto universitário.


Palavras-chave


Imigração; Saúde mental; Sofrimento psíquico; Estudantes universitários estrangeiros; Estudantes internacionais.

Texto completo:

PDF

Referências


Ainslie, R. C., Tummala-Narra, P., Harlem, A., Barbanel, L. & Ruth, R. (2013). Contemporary Psychoanalytic Views on the Experience of Immigration. Psychoanalytic Psychology, 30, 663-679. Doi : 10.1037/a0034588

Akhtar, S. (1999). The immigrant, the exile, and the experience of nostalgia. Journal of Applied Psychoanalytic Studies, 1, 123-130. Doi: 10.1023/A:1023029020496

Andrade, A. M. J. & Teixeira, M. A. P. (2009). Adaptação à universidade de estudantes internacionais: um estudo com alunos de um programa de convênio. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 10(1), 33-44. Doi inexistente.

Bardin, L. (2002). Análise de Conteúdo. Portugal: Edições 70. Doi inexistente.

CAPES (2010). Portaria no 092, de 28 de abril de 2010. Doi inexistente.

Chalungsooth, P. & Schneller, G. R. (2011). Development of Translation Materials to Assess International Students’ Mental Health Concerns. Journal of Multicultural Counseling and Development, 39, 180-191. Doi: 10.1002/j.2161-1912.2011.tb00150.x

Constantine, M. G. et al. (2005). Examining the Cultural Adjustment Experiences of African International College Students: A Qualitative Analysis. Journal of Counseling Psychology, 52, 57-66. Doi: 10.1037/0022-0167.52.1.57

Coutinho, M. P. L., Rodrigues, I. F. & Ramos, R. (2012). Transtornos Mentais Comuns no Contexto Migratório Internacional. PSICO, 34(3): 400-407. Doi inexistente.

Divisão de Temas Educacionais (n.d.). Programas Estudante-Convênio. Recuperado em 15 de outubro de 2016 de http://www.dce.mre.gov.br/PEC/apresentacao.php. Doi inexistente.

Fotovatian, S. & Miller, J. (2014). Constructing an institutional identity in university tea rooms: the international PhD student experience. Higher Education Research & Development, 33, 286–297. Doi: 10.1080/07294360.2013.832154

Fonseca, D. J. (2009). A tripla perspectiva: a vinda, a permanência e a volta de estudantes angolanos no Brasil. Pro-Posições, 20, 23-44. Doi: 10.1590/S0103-73072009000100003

Girardi, J. F. (2015). Impactos psicológicos da imigração voluntária: a experiência de universitários imigrantes. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianopolis, SC, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/169465. Doi inexistente.

Gusmão, N. M. (2008). Diáspora Africana: a vida de imigrantes e estudantes em Portugal e no Brasil. Reunião Brasileira de Antropologia, 26. Doi inexistente.

Gusmão, N. M. (2011). “Na Terra do Outro”: a presença de invisibilidade de estudantes africanos no Brasil, hoje. Dimensões, 26(1): 191-204. Doi inexistente.

Khawaja, N. G. & Dempsey, J. (2007). Psychological Distress in International University Students: An Australian Study. Australian Journal of Guidance & Counselling, 17, 13–27. Doi: 10.1375/ajgc.17.1.13

Liu, D. W. Y. & Winder, B. (2014). Exploring foreign undergraduate students’ experiences of university. International Journal of Qualitative Studies in Education, 27, 42-64. Doi: 10.1080/09518398.2012.736643

Martins-Borges, L. (2013). Migração involuntária como fator de risco à saúde mental. Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana, 21, 151-162. Doi: 10.1590/S1980-85852013000100009

Maundeni, T. et al. (2010). Cultural Adjustment of International Students at an African University. Journal of Psychology in Africa, 20, 79–84. Doi: 10.1080/14330237.2010.10820345

McClure, J. W. (2007). International graduates’ cross-cultural adjustment: experiences, coping strategies, and suggested programmatic responses. Teaching in Higher Education, 12, 199-217. Doi: 10.1080/13562510701191976

OECD (2012). Education at a Glance: OECD Indicators. OECD Publishing. Doi inexistente.

Padilla, B. (2013). Saúde dos imigrantes: multidimensionalidade, desigualdades e acessibilidade em Portugal. Revista Interdisciplinar de Mobilidade Humana, 21, 49-68. Doi: 10.1590/S1980-85852013000100004

Pirlot, G. (2011). Psychopathologie et psychosomatique psychanalytiques et interculturelles. In: Guerraoui, Z. & Pirlot, G. (org.). Comprendre et traiter les situations interculturelles: approches psychodynamiques et psychanalytiques (pp.145-192). Bruxelles: De Boeck. Doi inexistente.

Pussetti, C. (2010). Identidades em Crise: imigrantes, emoções e saúde mental em Portugal. Saúde & Sociedade, 19, 94-113. Doi: 10.1590/S0104-12902010000100008

Silva, K. & Morais, S. S. (2012). Tendência e tensões de sociabilidade de estudantes do Palop em duas universidades brasileiras. Pro-Posições, 1, 163-182. Doi: 10.1590/S0103-73072012000100011

Yakushko, O., Davidson, M. M. & Sanford-Martens, T. C. (2008). Seeking Help in a Foreign Land: International Students’ Use Patterns for a U.S. University Counseling Center. Journal of College Counseling, 11, 6-18. Doi: 10.1002/j.2161-1882.2008.tb00020.x




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2017.4.26143

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.