Ajudar o próximo ou ser recompensado? Comportamento distributivo infantil em situações envolvendo mérito e altruísmo

Leonardo Rodrigues Sampaio, Cleonice Pereira dos Santos Camino

Resumo


Crianças usam diferentes princípios para partilhar bens, a depender de suas idades e das informações disponíveis no contexto de distribuição, com uma tendência ao igualitarismo e altruísmo maiores à medida que suas idades avançam. No presente estudo o comportamento distributivo infantil foi avaliado em uma situação experimental na qual questões envolvendo o mérito pessoal e o cuidado com o próximo eram manipuladas. Foi utilizado um jogo computacional no qual a criança nomeava animais e podia decidir como a recompensa deveria ser dividida entre ela e seu adversário. Foi observado que as crianças entre 11 e 12 anos e aquelas que receberam informações sobre como o seu adversário de jogo ficaria após perder a partida tenderam a ser mais generosas. Ademais, crianças com maiores níveis de empatia foram menos egoístas. Esses resultados são discutidos a partir da teoria de Martin Hoffman e de achados empíricos recentes no campo da justiça distributiva.


Palavras-chave


Partilha; Crianças; Jogo; Mérito; Altruísmo.

Texto completo:

PDF

Referências


Batson, C. D., Klein, T. R., Highberger, L., & Shaw, L. L. (1995). Immorality from Empathy-Induced Altruism: When Compassion and Justice Conflict. Journal of Personality and Social Psychology, 68(6), 1042-1054. https://doi.org/10.1037/0022-3514.68.6.1042

Batson, C. D., Thompson, E., Seuferling, G., Whitney, H., & Strongman, J. A. (1999). Moral Hypocrisy: appearing moral to oneself without being so. Journal of Personality and Social Psychology, 77(3), 525-537. https://doi.org/10.1037/0022-3514.77.3.525

Batson, C. D., Lishner, D. A., Carpenter, A., Dulin, L., Harjusola-Webb, S., Stocks, E. L., Gale, S., Hassan, O., & Sampat, B. (2003) “… As you would have them do unto you”: imagining yourself in the other’s place stimulate moral action? Personality and Social Psychology Bulletin, 29(9), 1190-1201. https://doi.org/10.1177/0146167203254600

Blake, P. R. & Rand, D. G. (2010). Currency value moderates equity preference among young children. Evolution and Human Behavior, 31, 210-218. https://doi.org/10.1016/j.evolhumbehav.2009.06.012

Blake, P. R. & McAuliffe, K. (2011). “I had so much it didn’t seem fair”: Eight-year-olds reject two forms of inequity. Cognition, 120, 215-224. https://doi.org/10.1016/j.cognition.2011.04.006

Brasil. (2012). Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde (dispõe sobre a ética na pesquisa com seres humanos). Brasília: Ministério da Saúde.

Bryant, B. K. (1982). An index of empathy for children and adolescents. Child development, 53, 413-425. https://doi.org/10.2307/1128984

Conselho Federal de Psicologia. (2000). Resolução 0016/2000 (dispõe sobre a pesquisa em Psicologia com seres humanos). Brasília.

Fehr, E., Bernhard, H., & Rockenbach, B. (2008). Egalitarianism in young children. Nature, 454, 1079-1083. https://doi.org/10.1038/nature07155

Hoffman, M. (2000). Empathy and moral development: implications of caring and justice. New York: Cambridge University Press. https://doi.org/10.1017/CBO9780511805851

Piaget, J. (1994). The Moral Judgment of the Child. New York: Free Press (originalmente publicado em 1932).

Piazza, J., Bering, J. M., & Ingram, G. (2011), “Princess Alice is watching you”: Children's belief in an invisible person inhibits cheating. Journal of Experimental Child Psychology, 109, 311-320. https://doi.org/10.1016/j.jecp.2011.02.003

Posid, T., Fazio, A., & Cordes, S. (2015). Being sticker rich: numerical context influences children’s sharing behavior. PLoS ONE, 10(11), 1-18. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0138928

Ribeiro, J., Koller, S. H., & Camino, C. (2002). Adaptação e validação de duas escalas de empatia para uso no Brasil. Estudos de Psicologia (Campinas), 18(3), 43-53.

Sampaio, L. R., Camino, C., & Roazzi, A. (2007). Justiça distributiva em crianças de 5 a 10 anos de idade. Psicologia: Reflexão e Crítica, 20 (2), 195-202. https://doi.org/10.1590/S0102-79722007000200004

Sampaio, L., Camino, C. P., & Roazzi, A. (2009) Justiça distributiva: uma revisão da literatura psicossocial e desenvolvimentista. Psicologia em Estudo, 14(4), 631-640. https://doi.org/10.1590/S1413 73722009000400003

Sampaio, L. R. & Pires, M. F. D. N. (2015). Sharing in Private and Public Situations: does this really Matter for Children? Spanish Journal of Psychology, 18(42), 1-7. https://doi.org/10.1017/sjp.2015.45

Shaw, A. & Olson, K.R. (2013). All inequality is not equal: children correct inequalities using resource value. Frontiers in Psychology, 4, 1-9. https://doi.org/10.3389/fpsyg.2013.00393

Smith, C. E., Blake P. R., & Harris P. L. (2013). I should but I won’t: Why young children endorse norms of fair sharing but do not follow them. PloS One, 8, e59510. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0059510

Wong, M. M. A. & Nunes, T. (2003). Hong Kong children’s concept of distributive justice. Early Child Development and Care, 173(1), 119-129. https://doi.org/10.1080/0300443022000022477




DOI: http://dx.doi.org/10.15448//1980-8623.2017.3.25746

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.