Instituições de atendimento socioeducativo a adolescentes em situação de risco do Distrito Federal: Panorama e perspectivas

Paola Biasoli Alves, Deise Matos Amparo, Carmen Jansen de Cardenas, Bruno Moreira Chaves, Cynthia Bisonoto de Oliveira

Resumo


Apresenta-se o perfil das instituições de atendimento a crianças e adolescentes em situação de risco psicossocial em Ceilândia e Taguatinga. Foram pesquisadas vinte e uma instituições por meio da aplicação de um roteiro de entrevista estruturado com diretores/coordenadores. Evidenciou-se que: a) as instituições atendem as crianças e adolescentes, sem trabalhos específicos para suas famílias ou comunidades; b) 71% delas funciona na perspectiva filantrópica religiosa; c) busca-se o alcance da promoção da cidadania, o cuidado profissionalizante e o apoio sócio-educativo, contudo, não há projetos pedagógicos específicos; d) a atuação baseia-se em valores tradicionais, dificultando a compreensão contextual da realidade vivida pelos usuários e suas famílias. Conclui-se a necessidade do comprometimento social e político, bem como com a formação continuada dos técnicos e educadores envolvidos nas atividades institucionais, a sensibilização da comunidade em que as instituições atuam, assim como a busca incessante por parcerias que ofereçam sustentabilidade econômica e humana aos projetos desejados.
Palavras-chave: Socioeducativo; atenção psicossocial; adolescência; educadores; vulnerabilidade.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.