Envolvimento paterno aos 12 meses de vida do bebê

Rodrigo Gabbi Polli, Marília Reginato Gabriel, Cesar Augusto Piccinini, Rita de Cassia Sobreira Lopes

Resumo


O objetivo deste estudo foi investigar o envolvimento paterno de 35 pais (18 a 40 anos), cujo filho tinha 12 meses de vida. Os pais responderam a uma entrevista e as suas respostas foram examinadas através de análise de conteúdo qualitativa, com base em três dimensões do envolvimento paterno: interação, disponibilidade e responsabilidade. Os pais relataram se envolver com o filho de acordo com as necessidades e habilidades específicas dos 12 meses, idade em que o bebê passa a ser mais responsivo. Contudo, alguns pais relataram não ter a habilidade necessária para cuidar de um bebê, o que pode contribuir para um menor envolvimento com o filho. Os resultados do estudo evidenciam que os pais mostraram-se competentes para lidar com um bebê com novas habilidades, mesmo que, em alguns momentos, eles parecessem sentir dificuldades ou ainda preferissem que a mãe realizasse determinadas atividades.


Palavras-chave


Envolvimento paterno; Relações pai-criança; Paternidade.

Texto completo:

PDF

Referências


Altafim, E. R. P., Schiavo, R. A., & Rodrigues, O. M. P. R. (2008). Práticas parentais de mães adolescentes: um estudo exploratório. Temas sobre Desenvolvimento, 16(93), 104-110.

Brown, G. L., Mangelsdorf, S. C., & Neff, C. (2012). Father involvement, paternal sensitivity, and father-child attachment security in the first 3 years. Journal of Family Psychology, 26(3), 421-430. http://dx.doi.org/10.1037/a0027836

Carvalho, A. M. A., Pedrosa, M. I., & Rossetti-Ferreira, M. C. (2012). Aprendendo com a criança de zero a seis anos. São Paulo: Cortez.

Castoldi, L., Gonçalves, T. R., & Lopes, R. C. S. (2014). Envolvimento paterno da gestação ao primeiro ano de vida do bebê. Psicologia em Estudo (Maringá), 19(2), 247-259. http://dx.doi.org/10.1590/1413-737222105008

Falceto, O. G., Fernandes, C. L., Baratojo, C., & Giugliani, E. R. J. (2008). Fatores associados ao envolvimento do pai nos cuidados do lactente. Revista de Saúde Pública, 42(6), 1034-1040. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102008000600009

Ferreira, B., Monteiro, L., Fernandes, C., Cardoso, J., Veríssimo, M., & Santos, A. J. (2014). Percepção de Competência Parental: Exploração de domínio geral de competência e domínios específicos de autoeficácia, numa amostra de pais e mães portuguesas. Análise Psicológica, 32(2), 145-156. http://dx.doi.org/10.14417/ap.854

Frascarolo, F. (2004). Paternal involvement in child caregiving and infant sociability. Infant Mental Health Journal, 25(6), 509-521. http://dx.doi.org/10.1002/imhj.20023 Fuertes, M., Faria, A., Breeghly, M., & Santos, P. L. (2015). The effects of parental sensitivity and involvement in caregiving on mother-infant and father-infant attachment in a portuguese sample. Journal of Family Psychology, 5, no pagination specified.

Fulgencio, C. D. R. (2007). A presença do pai no processo de amadurecimento: um estudo sobre D. W. Winnicott. Dissertação de mestrado não publicada. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Gabriel, M. R. & Dias, A. C. G. (2011). Percepções sobre a paternidade: descrevendo a si mesmo e o próprio pai como pai. Estudos de Psicologia, 16(3), 253-261. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2011000300007

Kong, S. Y. C. L., Ling, C. C. Y., Leung, C. L. K., & Li, J. C. M. (2013). Fathering self-efficacy, marital satisfaction and father involvement in Hong Kong. Journal of Child and Family Studies, 22, 1051-1060. http://dx.doi.org/10.1007/s10826-012-9666-1

Lamb, M. E., Pleck, J. H., Charnov, E. L., & Levine, J. A. (1985). Paternal behavior in humans. American Zoologist, 25(3), 883-894. http://dx.doi.org/10.1093/icb/25.3.883

Laville, C. & Dione, J. (1999). A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas.

Lindsey, E. W., Cremeens, P. R., & Caldera, Y. M. (2010). Gender differences in mother-toddler and father-toddler verbal initiations and responses during a caregiving and play context. Sex Roles, 63(5-6), 399-411. http://dx.doi.org/10.1007/s11199-010-9803-5

McHale, J. P., Kazali, C., Rotman, T., Talbot, J., Carleton, M., & Lieberson, R. (2004). The transition to coparenthood: parents' prebirth expectations and early coparental adjustment at 3 months postpartum. Development and Psychopathology, 16(3), 711-733. http://dx.doi.org/10.1017/S0954579404004742

Nordahl, K. B., Jason, H., Manger, T., & Zachrisson, H. D. (2014). Family concordance and gender differences in parent-child structured interaction at 12 months. Journal of Family Psychology, 28(2), 253-259. http://dx.doi.org/10.1037/a0035977

Piccinini, C. A., Silva, M. R., Gonçalves, T. R., Lopes, R. C. S. L., & Tudge, J. (2004). O envolvimento paterno durante a gestação. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(3), 303-314. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722004000300003

Piccinini, C. A., Silva, M. R., Gonçalves, T. R., Lopes, R. C. S. L., & Tudge, J. (2012). Envolvimento paterno aos três meses de vida do bebê. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 28(3), 303-314. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722012000300006

Piccinini, C. A., Tudge, J., Lopes, R. C. S., & Sperb, T. (1998). Estudo longitudinal de Porto Alegre: da gestação à escola. Instituto de Psicologia – UFRGS, Porto Alegre. Projeto de pesquisa não publicado.

Premberg, A., Hellström, A. L., & Berg, M. (2008). Experiences of first year as father. Scandinavian Journal of Caring Sciences, 22, 56-63. http://dx.doi.org/10.1111/j.1471-6712.2007.00584.x

Saleh, M. F. & Hilton, J. M. (2011). A comparison of the paternal involvement of low-income fathers in four development stages: adolescence, young adult, adult, and midlife. The Familý Journal, 19(1), 47-55. http://dx.doi.org/10.1177/1066480710387496

Sary, M. P. & Turnip, S. S. (2015). Attitude difference between fathers and mothers toward father involvement in child rearing activities among couples with 0-12 months old babies. Community based study in a primary health care setting. Procedia – Social and Behavioral Sciences, 190(21), 92-96. http://dx.doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.04.921

Seward, R. R., Yeatts, D. E., & Zottarelli, L. K. (2002). Parental leave and father involvement in child care: Sweden and the United States. Journal of Comparative Family Studies, 33(3), 387-399.

Sutter, C. & Bucher-Maluschke, J. S. N. F. (2008). Pais que cuidam dos filhos: a vivência masculina da paternidade participativa. Psico, 39(1), 74-82.

Tamis-LeMonda, C. S., Kahana-Kalman, R., & Yoshikawa, H. (2009). Father involvement in immigrant and ethnically diverse families from the prenatal period to the second year: prediction and mediating mechanisms. Sex Role, 60, 496-509. http://dx.doi.org/10.1007/s11199-009-9593-9

Vieira, M. L., Bossardi, C. N., Gomes, L. B., Bolze, S. D. A., Crepaldi, M. A., & Piccinini, C. A. (2014). Paternidade no Brasil: revisão sistemática de artigos empíricos. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 66, 36-52.

Winnicott, D. W. (1982). A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: LTC Editora. (Original published in 1957)

Winnicott, D. W. (2005). A família e o desenvolvimento individual. São Paulo: Martins Fontes. (Original published in 1958).

Winnicott, D. W. (2006). Os bebês e suas mães. São Paulo: Martins Fontes. (Original published in 1987).




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2016.3.23205

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.