Representações sociais do envelhecimento e do rejuvenescimento para mulheres que adotam práticas de rejuvenescimento

Amanda Castro, Larissa Antunes, Annie Mehes Maldonado Brito, Brigido Vizeu Camargo

Resumo


Esta pesquisa teve por objetivo compreender as representações sociais do envelhecimento e do rejuvenescimento para mulheres que adotam práticas de rejuvenescimento. Participaram 40 mulheres entre 30 e 60 anos, sendo que 20 utilizavam práticas não invasivas e 20 faziam uso de práticas invasivas e minimamente invasivas. Foi empregada entrevista semidiretiva e não estruturada para investigação das representações sociais do envelhecimento e do rejuvenescimento e questionário contendo questões de caracterização das participantes. A análise dos dados empregou estatística descritiva e relacional. Os resultados indicaram que as representações sociais do envelhecimento e do rejuvenescimento apresentam elementos distintos, de acordo com o tipo de prática adotada. A pressão social e a cobrança das mulheres surgem como elementos representacionais que justificam a adoção de práticas de rejuvenescimento. Por fim, o envelhecimento é apresentado como uma condição subjetiva.


Palavras-chave


Representações sociais; Envelhecimento; Rejuvenescimento.

Texto completo:

PDF

Referências


Baltes, P. B. (1987). Theorical propositions of lifespan developmental psychology on the dynamics between growth and decline. Developmental Psychology, 23(5), 611-626. http://dx.doi.org/10.1037/0012-1649.23.5.611

Baltes, P. B. & Baltes, M. M. (1990). Psychological perspectives on successful aging: the model of selective optimization with compensation. In P. B. Baltes & M. M. Baltes (Ed.), Sucessful aging: perspectives from the behavioral sciences (pp. 1-34). Cambridge: Cambridge University Press. http://dx.doi.org/10.1017/CBO9780511665684

Camargo, B. V., Justo, A. M., & Jodelet, D. (2010). Normas, representações sociais e práticas corporais. Interamerican Journal of Psychology, 44(3), 449-457.

Camargo, B. V., Goetz, E. R., Bousfield, A. B., & Justo, A. M. (2011). Representações sociais do corpo: estética e saúde. Temas em Psicologia, 19(1), 257-268.

Camargo, B. V. & Justo, A. M. (2013). IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas em Psicologia, 21(2), 513-518. http://dx.doi.org/10.9788/TP2013.2-16

Camargo, B.V., Contarello, A., Wachelke, J. F. R., Morais, D.X., & Piccolo, C. (2014). Representações sociais do envelhecimento entre diferentes gerações no Brasil e na Itália. Psicologia em Pesquisa, 8(2), 179-188.

Castro, A., Aguiar, A. D., Berri, B., & Camargo, B. V. (2016). Representações sociais do rejuvenescimento na mídia impressa. Temas em Psicologia, 24(1), 117-130. http://dx.doi.org/10.9788/TP2016.1-08

Couto, E. & Meyer, D. (2012). Viver para ser velho? Cuidado de si, envelhecimento e juvenilização. Revista Entreideias: Educação, Cultura e Sociedade, 19, 21-32. Recuperado de: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/entreideias/article/view/5518/4297

Craciun, C., & Flick, U. (2014). I will never be the granny with rosy cheeks: Perceptions of aging in precarious and financially secure middle-aged Germans. Journal of aging studies, 29, 78-87. http://dx.doi.org/10.1016/j.jaging.2014.01.003

Debert, G. G. (2011). A velhice e tecnologias do rejuvenescimento. In M. Goldenberg (Org.), Corpo, envelhecimento e felicidade (pp. 65-80). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). (2011). Relatório sobre a situação da população mundial 2011. Recuperado em 12/06/2016, de: http://www.unfpa.org.br/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=795

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2015). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: síntese de indicadores 2014. Recuperado em 12/06/2016, de: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94935.pdf

International Society of Aesthetic Plastic Surgery [ISAPS], (2014). ISAPS International Survey on Aesthetic/Cosmetic: Procedures Performed in 2014. Recuperado em 20/06/2016, de: http://www.isaps.org/Media/Default/globalstatistics/2015%20ISAPS%20Results.pdf

Jodelet, D. (1989). Les representationes sociales. Paris: Press Universitaires de France.

Jodelet, D. (2001) Representações sociais: um domínio em expansão. In D. Jodelet (Org.), As representações sociais (pp. 17-41). Rio de Janeiro: EDUERJ.

Moscovici, S. (1961/2012). A psicanálise, sua imagem e seu público. Petrópolis: Vozes.

Neri, A. L. (2013) Conceitos e teorias sobre o envelhecimento. In L. Malloy-Diniz et al. (Eds.), Neuropsicologia do envelhecimento: uma Abordagem Multidimensional (pp. 17-42). Porto Alegre: Artmed.

Oliveira, A. M. M. et al. (2012). Representações sociais e envelhecimento: uma revisão integrativa de literatura. Rev. bras. ciênc. saúde, 16(3). http://dx.doi.org/10.4034/RBCS.2012.16.03.21

Silva, M. C., Ogata, M. N., & Oliveira, D. C. (2015). O estado de arte das produções científicas nacionais das representações sociais do envelhecimento na perspectiva da saúde. Kairós Gerontologia, 18(19), 49-63. Recuperado em 12/06/2016, de: http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/27243/19290

Silva, P. C. & Penalva, G. A. (2014). Nem todas querem ser Madonna: representações sociais da mulher carioca, de 50 anos ou mais. Estudos Feministas, 173-193. Recuperado em 12/06/2016, de: http://www.scielo.br/pdf/ref/v22n1/10.pdf

Papaléo Netto, M. (2002). Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu.

Rouquette. M. L. (1998). Representações e práticas sociais. In A. S. P. Moreira & D. C. de Oliveira (Orgs.), Estudos interdisciplinares de representação social (pp. 39-46). Goiânia: AB.

Santos, V. B., Tura, L. F. R., & Arruda, A.M.S. (2013). As representações sociais de “pessoa velha” construídas por idosos. Saúde e sociedade, 22(1), 138-147. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902013000100013

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica [SBCP] (2015). Análise Comparativa das Pesquisas 2009 e 2015: Situação da Cirurgia Plástica no Brasil. Recuperado em 12/06/2016, de: http://www2.cirurgiaplastica.org.br/restrito/wp-content/uploads/2016/06/pesquisa-SBCP-2009-14.pdf

Teixeira, M. C. T. V., Settembre, F. M., & Leal, S. B. (2007). A survey of women´s social representations of aging and rejuvenation. The Spanish Journal of Psychology, 10(1), 104-114. http://dx.doi.org/10.1017/S1138741600006363

Torres, T.L., Camargo, B. V., Boulsfield, A. B., & Silva, A. O. (2015). Representações sociais e crenças normativas sobre envelhecimento. Ciência & Saúde Coletiva, 20(12), 3621-3630. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152012.01042015

Veiga, M. R. M. (2012). Mulheres na meia-idade: corpos, envelhecimentos e feminilidades. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS.

Vicente, F. R. & Santos, S. M. A. D. (2013). Avaliação multidimensional dos determinantes do envelhecimento ativo em idosos de um município de Santa Catarina. Texto & Contexto Enfermagem, 22(2), 370-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000200013

Veloz, M. C. T., Nascimento-Schulze, C. M., & Camargo, B. V. (1999). Representações sociais do envelhecimento. Psicologia: Reflexão e Crítica, 12(2), 479-501. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79721999000200015

Wachelke, J. & Contarello, A. (2011). Italian students’ social representation on aging: an exploratory study of a representational system. Psicologia Reflexão e Crítica, 24(3), 551-560. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722011000300016

Wottrich, L. H. (2012). O que a telenovela diz sobre a velhice? Representações da beleza e do cuidado de si em Passione. Cadernos de Comunicação, 15(1). 102-113. http://dx.doi.org/10.5902/2316882X

Zani, R. (1994). Beleza e rejuvenescimento: métodos e técnicas. São Paulo: Saraiva.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2016.4.22495

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

e-ISSN: 1980-8623

ISSN-L: 0103-5371

*********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2018 EDIPUCRS