Práticas em saúde mental na atenção primária à saúde

Mara Soares Frateschi, Cármen Lúcia Cardoso

Resumo


O estudo objetivou mapear a produção científica sobre as práticas em saúde mental desenvolvidas no âmbito da Atenção Primária à Saúde. O levantamento dos artigos retornou 372 trabalhos, dos quais foram selecionados 54 para leitura na íntegra e análise. Os artigos foram analisados quanto a suas características gerais e quanto à temática abordada. Observou-se que as práticas que se pautaram em estratégias mais longitudinais e interdisciplinares tenderam a apresentar bons resultados para a saúde mental indicando avanços quanto à consolidação de estratégias de cuidado mais abrangentes e conectadas com o cotidiano das pessoas. Ressalta-se a relevância de estudos que objetivam mapear, descrever e avaliar tais práticas, avançando em novas formas de pensar e fazer saúde, mais humanas e universais.


Palavras-chave


Saúde mental; Atenção primária à saúde; Reforma psiquiátrica.

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, K. P., Kohlrausch, E. R., & Lima, M. A. D. S. (2008). Care of user with suicidal behavior: the view of Health Community Agents – a qualitative study. Online Brazilian Journal of Nursing, 7(3). http://dx.doi.org/10.5935/1676-4285.20081715

Andrade, F. B., Filha, M. O. F., Dias, M. D., Silva, A. O., Costa, I. D. C., Lima, E. A. R., & Mendes, C. K. T. T. (2010). Promoting Elderly Mental Health in Basic Care: Community Therapy Contributions. Texto & Contexto Enfermagem, 19(1), 129-136. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-7072010000100015

Andrade, F. B., Filha, M. D. F., Vianna, R. P. D., Silva, A. O., & Costa, I. D. C. (2012). Evaluation of Participant Satisfaction with Community Therapy: A Mental Health Strategy in Primary Care. Psychiatric Quarterly, 83(3), 325-334. http://dx.doi.org/10.1007/s11126-011-9202-2

Antonacci, M. H. & Pinho, L. B. (2011). Saúde mental na atenção básica: uma abordagem convergente assistencial. Revista Gaúcha de Enfermagem, 32(1), 136-142. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000100018

Arce, V. A. R., Sousa, M. F., & Lima, M. G. (2011). A práxis da Saúde Mental no âmbito da Estratégia Saúde da Família: contribuições para a construção de um cuidado integrado. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 21(2), 541-560.

Baroni, D. P. M. & Fontana, L. M. (2009). Ações em saúde mental na atenção primária no município de Florianópolis, Santa Catarina. Mental, 7(12), 15-37.

Botti, N. C. & Andrade, W. V. (2008). A saúde mental na atenção básica: articulação entre os princípios do SUS e da reforma psiquiátrica. Cogitare Enfermagem, 13(3), 387-394. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v13i3.12991

Byng, R., Norman, I., Redfern, S., & Jones, R. (2010). Exposing the key functions of a complex intervention for shared care in mental health: case study of a process evaluation, BMC Health Services Research, 8. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-8-274

Caçapava, J. R. & Colvero, L. A. (2008). Estratégias de atendimento em saúde mental nas unidades básicas de saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, 29(4), 573-580.

Caçapava, J. R., Colvero, L. A., Martines, W. R. V., Machado, A. L., Silva, A. L. A., Vargas, D., Oliveira, M. A. F., & Barros, S. (2009). Trabalho na atenção básica: integralidade do cuidado em saúde mental. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 43(2), 1256-1260. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000600019

Campos, R. O., Gama, C. A., Ferrer, A. L., Santos, D. V. D., Stefanello, S., Trapé, T. L., & Porto, K. (2011). Saúde mental na atenção primária à saúde: estudo avaliativo em uma grande cidade brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, 16(12), 4643-4652. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011001300013

Chan, W. S., Whitford, D. L., Conroy, R., Gibney, D., & Hollywood, B. (2011). A multidisciplinary primary care team consultation in a socio-economically deprived community: an exploratory randomised controlled trial. BMC Health Services Research, 11(15). http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-11-15

Chiavagatti, F. G., Kantorski, L. P., Willrich, J. Q., Cortes, J. M., Jardim, V. M. R., & Rodrigues, C. G. S. S. (2012). Articulação entre Centros de Atenção Psicossocial e Serviços de Atenção Básica de Saúde. Acta Paulista de Enfermagem, 25(1), 11-17. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000100003

Collings, S., Mathieson, F., Dowell, A., Stanley, J., Jenkin, G., Goodyear-Smith, F., & Hatcher, S. (2012). Acceptability of a guided self-help mental health intervention in general practice. Family Practice, 29(1), 43-49. http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cmr066

Delfini, P. S. S., Sato, M. T., Antoneli, P.P., & Guimarães, P. O. S. (2009). Parceria entre CAPS e PSF: o desafio da construção de um novo saber. Ciência e Saúde Coletiva, 14(1), 1483-1492. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000800021

Fickel, J. J., Yano, E. M., Parker, L. E., & Rubenstein, L. V. (2009). Clinic-Level Process of Care for Depression in Primary Care Settings. Administration and Policy in Mental Health, 36(2), 144-158. http://dx.doi.org/10.1007/s10488-009-0207-1

Figueiredo, M. D. & Campos, R. O. (2009). Saúde Mental na atenção básica à saúde de Campinas, SP: uma rede ou um emaranhado? Ciência & Saúde Coletiva, 14(1), 129-138. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000100018

Frankel, R. M., Salyers, M. P., Bonfils, K. A., Oles, S. K., & Matthias, M. S.(2013). Agenda setting in psychiatric consultations: an exploratory study. Psychiatric Rehabilitation Journal, 36(3), 195-201. http://dx.doi.org/10.1037/prj0000004

Frateschi, M. S. & Cardoso, C. L. (2014). Saúde Mental na Atenção Primária à Saúde: avaliação sob a ótica dos usuários. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 24(2), 545-565. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312014000200012

Frateschi, M. S. (2014). Reabilitação Psicossocial e Estratégia Saúde da Família: Desafios no cuidado à saúde mental. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Gidding, L. G., Spigt, M. G., & Dinant, G. J. (2013). Stepped collaborative depression care: primary care results before and after implementation of a stepped collaborative depression programme. Family Practice, 31(2):180-92. http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cmt072

Gili, M., Magallón, R., López-Navarro, E., Roca, M., Moreno, S., Bauzá, N., & García-Cammpayo, J. (2013). Health related quality of life changes in somatising patients after individual versus group cognitive behavioural therapy: a randomized clinical trial. Journal of Psychosomatic Research, 76(2), 89-93. http://dx.doi.org/10.1016/j.

Gonçalves, R. M. D. A., Pedrosa, L. A. K., Oliveira, M. F. O., Silva, Q. C. G., Abreu, R. M. D., & Pinho, P. H. (2013). Promoção da saúde mental: Ações dos enfermeiros inseridos na atenção primária. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, 10, 49-56.

Guevara, J. P., Greenbaum, P. E., Shera, D., Bauer, L., & Schwarz, D. F. (2009). Survey of mental health consultation and referral among primary care pediatricians. Academic Pediatrics, 9(2), 123-127. http://dx.doi.org/10.1016/j.acap.2008.12.008

Høifødt, R.S., Lillevoll, K. R., Griffiths, K. M., Wilsgaard, T., Eisemann, M., Waterloo, K., & Kolstrup, N. (2013). The Clinical Effectiveness of Web-Based Cognitive Behavioral Therapy With Face-to-Face Therapist Support for Depressed Primary Care Patients: Randomized Controlled Trial. Journal of Medical Internet Research, 15(8), http://dx.doi.org/10.2196/jmir.2714

Huijbregts, K. M. L., Jong, F. J., Marwijk, H. W. J., Beekman, A. T. F., Ader, H. J., Roijen, L.H., & Feltz-Cornelis, C. M. (2013). A target-driven collaborative care model for Major Depressive Disorder is effective in primary care in the Netherlands. A randomized clinical trial from the depression initiative. Journal of Affective Disorders, 146(3), 328-337. http://dx.doi.org/10.1016/j.jad.2012.09.015

Jorge, M. S. B., Sousa, F. S. P., & Franco, T. B. (2013). Apoio matricial: dispositivo para resolução de casos clínicos de saúde mental na Atenção Primária à Saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 66(5), 738-744. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000500015

Júnior, J. M. L., Melo, S. C. F., Braga, L. A. V., & Dias, M. D. (2010). Saúde mental e saúde da família: implicações, limites e possibilidades. Cadernos de Saúde Coletiva, 18(2), 229-233.

Kerse, N., Hayman, K. J., Moyes, S. A., Peri, K., Robinson, E., Dowell, A., & Arroll, B. (2010). Home-based activity program for older people with depressive symptoms: DeLLITE – A randomized controlled trial. Annals of Family Medicine, 8(3), 214-223. http://dx.doi.org/10.1370/afm.1093

Kessler, R. (2012). Mental health care treatment initiation when mental health services are incorporated into primary care practice. Journal of the American Board of Family Medicine, 25(2), 255-259. http://dx.doi.org/10.3122/jabfm.2012.02.100125

Kohlrausch, E., Lima, M. A. D. S., Abreu, K. P., & Soares, J. S. F. (2008). Atendimento ao comportamento suicida: concepções de enfermeiras de unidades de saúde. Ciência Cuidado e Saúde, 7(4), 468-475. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v7i4.6628

Laukkanen, E., Hintikka, J. J., Kylmä, J., Kekkonen, V., & Marttunen, M. (2010). A brief intervention is sufficient for many adolescents seeking help from low threshold adolescent psychiatric services. BMC Health Services Research, 10. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-10-261

Lei Nº. 10.216, de 06 de abril de 2001. (2001). Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Brasília. 2001. Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm

Lopez-Garcia-Franco, A., del-Cura-Gonzalez, M. I., Caballero-Martinez, L., Sanz-Cuesta, T., Diaz-Garcia, M. I., Rodriguez-Monje, M. T., et al. (2012). Effectiveness of a cognitive behavioral intervention in patients with medically unexplained symptoms: cluster randomized trial. BMC Family Practice, 13(35). http://dx.doi.org/10.1186/1471-2296-13-35

Mall, S., Sorsdahl, K., Swartz, L., & Joska, J. (2012). “I understand just a little...” Perspectives of HIV/AIDS service providers in South Africa of providing mental health care for people living with HIV/AIDS. Aids Care-Psychological and Socio-Medical Aspects of AIDS/HIV, 24(3), 319-323. http://dx.doi.org/10.1080/09540121.2011.608790

Menear, M., Duhoux, A., Roberge, P., & Fournier, L. (2014). Primary care practice characteristics associated with the quality of care received by patients with depression and comorbid chronic conditions. General Hospital Psychiatry, 36(3), 302-309. http://dx.doi.org/10.1016/j.genhosppsych.2014.01.013

Minozzo, F., Kammzetser, C. S., Debastiani, C., Fait C. S., & Paulon, S. M. (2012). Grupos de saúde mental na Atenção Primária à Saúde. Fractal, 24(2), 323-340. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-02922012000200008

Minozzo, F., & Costa, I. I. (2013a). Apoio matricial em saúde mental entre CAPS e Saúde da Família: trilhando caminhos possíveis. Psico-USF, 18(1), 151-160. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712013000100016

Minozzo, F., & Costa, I. I. (2013b). Apoio matricial em saúde mental: fortalecendo a saúde da família na clínica da crise. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 18(1), 438-450. 151-160. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-47142013000300007

Morais, A. P. P., & Yanaka, O. Y. (2012). Apoio matricial em saúde mental: alcances e limites na atenção básica. Saúde e Sociedade, 21(1), 161-170. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902012000100016

Moreno, E., & Moriana, J. A. (2012). The treatment of mental health and psychological problems in primary care. Salud Mental, 35(4), 315-322.

Onocko-Campos, R. T., Campos, G. W. S., Ferrer, A. L., Corrêa, C. R. S., Madureira, P. R. d., Gama, C. A. P., & Nascimento, R. (2011). Avaliação de estratégias inovadoras na organização da Atenção Primária à Saúde. Revista de Saúde Pública, 46(1), 43-50. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011005000083

Paula, C. S., Nakamura, E., Wissow, L., Bordin, I. A., do Nascimento, R., Leite, A. M., & Martin, D. (2009). Primary Care and Children’s Mental Health in Brazil. Academic Pediatrics, 9(4), 249-255. http://dx.doi.org/10.1016/j.acap.2009.02.006

Perkins, D., Hamilton, M., Saurman, E., Luland, T., Alpren, C., & Lyle, D. (2010). GP Clinic: promoting access to primary health care for mental health service clients. Australian Journal of Rural Health, 18(6), 217-22. http://dx.doi.org/10.1111/j.1440-1584.2010.01159.x

Petersen, I., Ssebunnya, J., Bhana, A., & Baillie, K. (2011). Lessons from case studies of integrating mental health into primary health care in South Africa and Uganda. International Journal of Mental Health Systems, 5(8). http://dx.doi.org/10.1186/1752-4458-5-8

Pini, J. S., & Waidman, M. A. P. (2012). Fatores interferentes nas ações da equipe da Estratégia Saúde da Família ao portador de transtorno mental. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(2), 372-379. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000200015

Pinto, A. G. A., Jorge, M. S. B., Vasconcelos, M. G. F., Sampaio, J. J. C., Lima, G. P., Bastos, V. C., & Sampaio, H. A. C. (2012). Apoio matricial como dispositivo do cuidado em saúde mental na atenção primária: olhares múltiplos e dispositivos para resolubilidade. Ciência & Saúde Coletiva, 17(3), 653-660. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000300011

Quinderé, P. H. D., Jorge, M. S. B., Nogueira, M. S. L., Costa, L. F. A., & Vasconcelos, M. G. F. (2013). Acessibilidade e resolubilidade da assistência em saúde mental: a experiência do apoio matricial. Ciência & Saúde Coletiva, 18(7), 2157-2166. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000700031

Ramos, P. F., & Pio, D. A. M. (2010). Construção de um projeto de cuidado em saúde mental na atenção básica. Psicologia Ciência e Profissão, 30(1), 212-223. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932010000100016

Ribeiro, L. M., Medeiros, S. M., Albuquerque, J. S., & Fernandes, S. M. B. A. (2010). Saúde mental e enfermagem na estratégia saúde da família: como estão atuando os enfermeiros? Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(2), 376-382. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000200019

Rocha, B.S., & Werlang, M.C. (2013). Psicofármacos na Estratégia Saúde da Família: perfil de utilização, acesso e estratégias para a promoção do uso racional. Ciência & Saúde Coletiva, 18(11), 3291-3300. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013001100019

Sarvet, B., Gold, J., & Straus, J.H. (2011). Bridging the Divide Between Child Psychiatry and Primary Care: The Use of Telephone Consultation Within a Population-Based Collaborative System. Child and Adolescent Psychiatric Clinics of North America, 20(1), 41-53. http://dx.doi.org/10.1016/j.chc.2010.08.009

Silveira, D. P., & Vieira, A. L. S. (2009). Saúde mental e atenção básica em saúde: análise de uma experiência no nível local. Ciência e Saúde Coletiva, 14(1), 139-148. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000100019

Silveira, E. R. (2012). Práticas que integram a saúde mental à saúde pública: o apoio matricial e a interconsulta. Ciência & Saúde Coletiva, 17(9), 2377-2386. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000900018

Souza, J., & Luis, M. A. V. (2012). Demandas de saúde mental: percepção de enfermeiros de equipes de saúde da família. Acta Paulista de Enfermagem, 25(6), 852-858. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012000600005

Tanaka, O. Y., & Ribeiro, E. L. (2009). Ações de Saúde Mental na Atenção Básica: Caminho para Ampliação da Integralidade da Atenção. Ciência e Saúde Coletiva, 14(2), 477-486. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000200016

Yeung, A. S., Jing, Y. H., Brenneman, S. K., Chang, T. E., Baer, L., Hebden, T., & Fava, M. (2012). Clinical Outcomes in Measurement-Based Treatment (COMET): A Trial of Depression Monitoring and Feedback to Primary Care Physicians. Depression and Anxiety, 29(10), 865-873.http://dx.doi.org/10.1002/da.21983




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2016.2.22024

ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.