Funcionamento diferencial dos itens na Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior (M-ES)

Rodolfo A. M. Ambiel, Lucas de Francisco Carvalho, Thaline da Cunha Moreira, Aline Ribeiro Bacan

Resumo


O estudo visou verificar a adequação da Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior via rating scale model e investigar a presença de funcionamento diferencial dos itens (DIF) de acordo com o tipo das instituições dos participantes da pesquisa, pública ou particular. Participaram da pesquisa 327 estudantes universitários, de universidades públicas e particulares, de todos os estados brasileiros, incluindo o Distrito Federal. As idades variaram entre 17 e 58 anos, sendo 80,1% do sexo feminino. O instrumento utilizado foi a Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior (M-ES). Os resultados apontaram que em relação à adequação do instrumento as análises foram satisfatórias e que houve a presença de funcionamento diferencial em alguns itens, sendo que a maior parte dos itens com presença de DIF tiveram como grupo privilegiado os alunos de instituição pública. Os resultados são discutidos de acordo com a literatura e novos estudos são sugeridos.


Palavras-chave


Funcionamento diferencial do item (DIF); Evasão escolar; Ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Ambiel, R. A. M. (2015). Construção e validade de construto da Escala de Motivos para Evasão do Ensino Superior. Avaliação Psicológica, 14(1), 41-52. http://dx.doi.org/10.15689/ap.2015.1401.05

Baggi, C. A. S. & Lopes, D. A. (2011). Evasão e avaliação institucional no ensino superior: uma discussão bibliográfica. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 16(2) 355-374. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772011000200007

Bardagi, M. P. & Hutz, C. S. (2009). “Não havia outra saída”: percepções de alunos evadidos sobre o abandono do curso superior. Psico-USF, 14(1), 95-105. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712009000100010

Barlem, J. G. T., Lunardi, V. L., Bordignon, S. S., Barlem, E. L. D. Lunardi Filho, W. D., Silveira, R. S., & Zacarias, C. C. (2012). Opção e evasão de um curso de graduação em enfermagem: percepção de estudantes evadidos. Revista Gaúcha de Enfermagem, 33(2), 132-138.

Batista, N. C. (2015). Políticas públicas de ações afirmativas para a Educação Superior: o Conselho Universitário como arena de disputas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 23(86), 95-128. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362015000100004

Castro, A. K. S. S. & Teixeira, M. A. P. (2013). A evasão em um curso de psicologia: uma análise qualitativa. Psicologia em Estudo, 18(2), 199 209. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722013000200002

Cavalcanti, A. L., Lima, W. G., Marques, J. L. S., Alves, H. F. C., & Granville-Garcia, A. F. (2010). Motivos de ingresso e de evasão dos acadêmicos de odontologia de uma instituição pública. Revista de Odontologia da UNESP, 39(2), 95-99.

Demetriou, C. & Schmitz-Sciborski, A. (2011). Integration, motivation, strengths and optimism: Retention theories past, present and future. In R. Hayes (Org.). Proceedings of the 7th National Symposium on student retention (pp. 300-312). Norman, OK: The University of Oklahoma.

Draba, R. E. (1977). The identification and interpretation of item bias. Research Memorandum, (25).

Du, Y. (1995). When to adjust for Differential Item Functioning. Rasch Measurement Transactions, 9(1), 414.

Embretson, S. E. & Reise, S. P. (2000). Item response theory for psychologists. Mahwah: Lawrence Erlbaum.

Felicetti, V. L. & Fossatti, P. (2014). Alunos ProUni e não ProUni nos cursos de licenciatura: evasão em foco. Educar em Revista, 51, 265-282. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40602014000100016

INEP. (2012). Censo da Educação Superior 2012: Resumo técnico. Recuperado de: http:// http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior

Linacre, J. M. (2009). Winsteps (Version 3.68. 0) [Computer software]. Chicago: Winsteps.com.

Lobo, M. B. C. M. (2012). Panorama da evasão no ensino superior brasileiro: aspectos gerais das causas soluções. Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior – ABMES, 25, 1-23.

Morosini, M. C., Casartelli, A. O., Silva, A. C. B., Santos, B. S., Schmitt, R. E., & Gessinger, R. M. (2011). A evasão na educação superior no Brasil: uma análise da produção de conhecimento nos periódicos Qualis entre 2000-2011. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, Faculdade de Educação – FACED, Porto Alegre.

Neves, C. E. B. (2012). Ensino Superior no Brasil: expansão, diversificação e inclusão. Trabalho apresentado no Congresso da LASA (Associação de Estudos Latino Americanos), São Francisco, Califórnia.

Primi, R., Carvalho, L. F. D., Miguel, F. K., & Silva, M. C. R. D. (2010). Análise do funcionamento diferencial dos itens do Exame Nacional do Estudante (ENADE) de psicologia de 2006. Psico-USF, 15(3), 379-393. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712010000300011

Silva Filho, R. L. L., Motejunas, P. R., Hipólito, O. & Lobo, M. B. C. M. (2007). A evasão no ensino superior brasileiro. Cadernos de pesquisa, 37(132), 641-659. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-15742007000300007

Silva, G.P. (2013). Análise de Evasão no Ensino Superior: Uma proposta de seus determinantes. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 18(2), 311-333. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-4077201300020000

Sisto, F. F. (2006). O funcionamento diferencial dos itens. Psico-USF, 11(1), 35-43.

Sobrinho, J. D. (2010). Avaliação e transformações da educação superior brasileira (1995-2009): do provão ao SINAES. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 15(1), 195-224. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772010000100011

Swaminatham, H. & Hambleton, H. K. (1985). Item response theory: principles and applications. Boston: Kluwer.

Tennant, A., & Pallant, J. F. (2007). DIF matters: A practical approach to test if Differential Item Functioning makes a difference. Rasch Measurement Transactions, 20(4), 1082-1084.

Tinto, V. (1975). Dropout from higher education: A theoretical synthesis of recent research. Review of Educational Research, 45(1), 89-125. http://dx.doi.org/10.3102/00346543045001089

Tinto, V. (2007). Research and practice of student retention: what next? Journal of College Student Retention, 8(1), 1-19. http://dx.doi.org/10.2190/4YNU-4TMB-22DJ-AN4W

Tontini, G. & Walter, S. A. (2014). Pode-se identificar a propensão e reduzir a evasão de alunos? Ações estratégicas e resultados táticos para instituições de ensino superior. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, 19(1), 89-110. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-40772014000100005

Wright, B. D., & Masters, G. N. (1982). Rating scale analysis. Chicago: MESA.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2016.1.21765

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.