As patologias nos modos de ser criança e adolescente: análise das internações no Hospital Psiquiátrico São Pedro entre 1884 e 1937

Rosane Neves da Silva, Andrea Cristina Coelho Scisleski, Sara Hartmann, Mariana Lorenz Pires

Resumo


Este estudo é parte de um projeto que tem como objetivo traçar um panorama histórico das redes discursivas que caracterizam o que a sociedade considera como desviante em um determinado momento, assim como apresentar as mudanças paradigmáticas que ocorrem no próprio diagnóstico do que é patológico nos modos de ser criança e adolescente ao longo do tempo. O referencial teórico e metodológico fundamenta-se na perspectiva genealógica proposta por Michel Foucault, assim como em suas análises sobre os anormais e o poder psiquiátrico. No presente trabalho apresentaremos a análise do período de 1884 a 1937. Constata-se que as redes discursivas sobre as patologias nos territórios da infância e da adolescência permitem identificar algumas descontinuidades e continuidades: descontinuidade do ponto de vista dos diagnósticos encontrados, mas continuidade no que se refere às estratégias de exclusão social.

Palavras-chave


patologia, infância, diagnóstico psiquiátrico, Michel Foucault

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.