Fatores de Risco ao Envolvimento de Mães com Filhos Pré-Escolares: Associações com Estresse e Burnout

Tatiane Oliveira Zanfelici, Elizabeth Joan Barham

Resumo


O trabalho dos pais pode relacionar-se positiva ou negativamente ao desenvolvimento dos filhos, a depender da frequência com a qual demandas domésticas e profissionais interferem no envolvimento parental. O objetivo deste estudo foi examinar as relações entre demandas de trabalho, estresse, burnout e envolvimento parental em 56 trabalhadoras com filhos de 3 a 5 anos. Aferiram-se os sintomas de estresse e burnout e o envolvimento com o filho utilizando escalas testadas em outros estudos. Verificou-se que as mulheres que afirmavam dedicar mais horas a tarefas domésticas atingiram escores de estresse e burnout mais altos e relataram menor frequência de envolvimento com seu filho. Os resultados elucidam uma fase crítica na vida de trabalhadoras com filhos pequenos, apontando a necessidade de fortalecer a rede de suporte para estes indivíduos, bem como desenvolver políticas públicas, para reduzir a sobrecarga e o estresse parental.


Palavras-chave


Dupla Carreira; Stress; Relações Familiares; Trabalho da Mulher.

Texto completo:

PDF

Referências


Abbad, G., & Torres, C. V. (2002). Regressão múltipla stepwise e hierárquica em Psicologia Organizacional: aplicações, problemas e soluções. Estudos de Psicologia (Natal), 7 (número especial), 19-29. Recuperado a partir de http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2002000300004

Araújo T. M., Pinho, P. S., & Almeida, M. M. G. (2005). Prevalência de transtornos mentais comuns em mulheres e sua relação com as características sociodemográficas e o trabalho doméstico. Revista Brasileira de Saúde Materna e Infantil, 5(3), 337-348. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292005000300010

Barham, E. J. & Vanalli, A. C. G. (2012). Trabalho e família: perspectivas teóricas e desafios atuais. Revista Brasileira de Psicologia Organizacional e do Trabalho, 12(1), 47-59.

Benevides-Pereira, A. M. T. (2001). Maslach Burnout Inventory e suas adaptações para o Brasil. Anais da XXXII Reunião Anual de Psicologia. Rio de Janeiro, RJ, 84-85.

Benevides-Pereira, A. M. T. (2010). Burnout: Quando o Trabalho Ameaça o Bem-estar do Trabalhador. São Paulo: Casa do Psicólogo. Brasil. (1990). Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei Federal n° 8069 de 13 de julho de 1990. Recuperado em: 13 set. 2013, disponível em: .

Brasil (2001). Decreto-Lei nº 5.452 – Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Recuperado em: 26 maio 2015. disponível em: .

Brasil (2006). Política Nacional de Educação Infantil: Pelo Direito das Crianças de 0 a 6 Anos à Educação. Brasília: MEC/SEB.

Brasil. (2012). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Síntese de Indicadores- Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – 2011. Rio de Janeiro, RJ.

Bronfenbrenner, U. (1996) Ecologia do Desenvolvimento Humano: Experimentos Naturais e Planejados. Porto Alegre: Artes Médicas. (Original publicado em 1979).

Cia, F. & Barham, E. J. (2008). Trabalho noturno e o novo papel paterno: Uma interface difícil. Estudos de Psicologia (Campinas), 25, 211-221. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2008000200006

Cia, F. & Barham, E. J. (2009). O envolvimento paterno e o desenvolvimento social de crianças iniciando as atividades escolares. Psicologia em Estudo, 14, 67-74. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722009000100009

Cia, F., D’Affonseca, S. M., & Barham, E. J. (2004). A relação entre o envolvimento paterno e o desempenho acadêmico dos filhos. Paidéia: Cadernos de Psicologia e Educação, 14 (29), 277-286.

Cia, F. & Barham, E. J. (2005). A relação entre o turno de trabalho do pai e o autoconceito do filho. Revista Psico, 36(1), 29-35.

Cia, F., Barham, E. J., & Fontaine, A. M. G. V. (2012). Desempenho acadêmico e autoconceito de escolares: contribuições do envolvimento paterno. Revista Estudos de Psicologia, 29(4), 461-470. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2012000400001

Cooper, C. L. & Lewis, S. (2000). E Agora, Trabalho ou Família? Pais e Mães que Trabalham Fora Aprendem como Enfrentar as Sobrecargas Profissionais e Familiares do Dia-a-dia. São Paulo: Editora Tâmisa. Dekovic, M. & Meuis, W. (1997). Peer relations in adolescence: Effects of parenting on adolescents’ self-concept. Journal of Adolescence, 97, 1163-1176. http://dx.doi.org/10.1006/jado.1996.0074

Dessen, M. A. & Braz, M. P. (2005). A família e suas inter-relações com o desenvolvimento humano. In M. A. Dessen & A. L. Costa Júnior (Orgs.). A Ciência do Desenvolvimento Humano: Tendências Atuais e Perspectivas Futuras (pp. 132-151). Porto Alegre: Artmed.

Eisenstein, E. & Souza, R. P. (1993). Situações de Risco à Saúde de Crianças e Adolescentes. Petrópolis: Vozes.

Ferreira, S. H. A. & Barreira, S. D. (2010). Ambiente familiar e a aprendizagem escolar em alunos da educação infantil. Psico (Porto Alegre), 41(4), 462-472.

Goulart Jr., E., Feijó, M. R., Cunha, E. V., Correa, B. J., & Gouveia, P. A. E. S. (2013). Exigências familiares e do trabalho: Um equilíbrio necessário para a saúde de trabalhadores e organizações. Pensando Famílias, 17(1), 110-122.

Lero, D., Spinks, N., Fast, J., Hilbrecht, M., & Tremblay, D.G. (2012). Availability, accessibility and effectiveness of workplace supports for Canadian caregivers. Guelph ON: Centre for Families, Work & Well being, University of Guelph.

Lim, V. K. G & Kim, T. Y. (2014). The Long Arm of the Job: Parents’ Work–Family Conflict and Youths’ Work Centrality. Applied Psychology Special Section – International Perspectives on Work and Family, 63(1), 96-129. http://dx.doi.org/10.1111/j.1464-0597.2012.00527.x

Mondin, E. M. C. (2008). Práticas educativas parentais e seus efeitos na educação dos filhos. Psicologia Argumento, 26(54), 233-244.

Nunes-Costa, R. A.; Lamela, D. J. P. V., & Figueiredo, B. F. C. (2009). Adaptação psicossocial e saúde física em crianças de pais separados. Jornal de Pediatria, 85(5), 385-396, http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572009000500004

Oliveira, L. B., Cavazotte, F. S. C. N, & Paciello, R. R. (2013). Antecedentes e consequências dos conflitos entre trabalho e família. Revista de Administração Contemporânea, 17(4), 418-437, http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552013000400003

Patias, N.D, Siqueira, A. C., & Dias, A. C. G. (2013). Práticas educativas e intervenção com pais: A educação como proteção ao desenvolvimento dos filhos. Mudanças – Psicologia da Saúde, 21(1), 29-40. http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019

Pedroso, M. L. R. & Motta, M. G. C. (2010). Cotidianos de famílias de crianças convivendo com doenças crônicas: microssistemas em intersecção com vulnerabilidades individuais. Revista Gaúcha de Enfermagem, 31(4), 633-639. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472010000400004

Pinquart, M. & Silbereisen, R. K. (2005). Influences of parents and siblings on the development of children and adolescents. In V. L. Bengston, A. C. Acock, K. R. Allen, P. Dilworth-Anderson, & D. M. Klein (Org.). Sourcebook of Family Theory & Research, (pp. 367-391). Thousand Oaks, CA: Sage.

Sanjutá, G. & Barham, E. J. (2005). Uma análise do equilíbrio trabalho e família no contexto brasileiro. Revista Nucleus, 3(1), 33-38.

Simões, S., Farate, C., & Pocinho, M. (2011). Estilos educativos parentais e comportamentos de vinculação de crianças em idade escolar. Interações (Coimbra), 20, 75-99.

Soares, C. & Sabóia, A. L. (2007). Tempo, Trabalho e Afazeres Domésticos: Um Estudo com Base nos Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios de 2001 a 2005. Rio de Janeiro: IBGE.

Soares, L. M., Teixeira, K. M. D., Loreto, M. D. S., & Pereira, E. T. (2011). Maternidade e trabalho: percepção de bancárias. Oikos: Revista Brasileira de Economia Doméstica, 22(1), 210-229.

Vanalli, A. C. G. (2012). Conciliação entre profissão, conjugalidade e paternidade para homens e mulheres com filhos na primeira infância. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos: UFSCar.

Vanalli, A. C. G. & Barham, E. J. (2008). A demanda para políticas públicas adicionais para trabalhadores com filhos pequenos: o caso de professoras. Temas em Psicologia, 16(2), 231-241.

Zanfelici, T. O. (2009). Fatores de risco ao envolvimento materno com filhos pré-escolares. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Educação Especial, Universidade Federal de São Carlos. São Carlos: UFSCar.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2015.3.18663

e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.