Pais que cuidam dos filhos: a vivência masculina na paternidade participativa

Christina Sutter, Júlia Sursis Nobre Ferro Bucher Maluschke

Resumo


O presente artigo é o relato de uma pesquisa com pais cuidadores – homens que vivenciam a participação constante no cotidiano dos filhos – no intuito de captar o sentido dado à paternidade e à masculinidade. Com vistas a apreender o sentido atribuído pelos sujeitos da pesquisa à vivência da paternidade, foi utilizada a técnica do Grupo Focal, analisando-se os dados colhidos a partir das práticas discursivas, à luz do construcionismo social. Como resultado, percebe-se que os pais cuidadores vivenciam a paternidade com especial intensidade emotiva, e demonstram uma disposição contrária ao estereótipo masculino, que pressupõe, sobretudo, o autocontrole das emoções. Conforme se constata, a paternidade participativa implica a reativação dos sentimentos de dependência oral do desenvolvimento humano, os quais se expressam pela capacidade de cuidar e de se envolver numa relação de intimidade, comumente negados na experiência masculina.
Palavras-chave: Paternidade participativa; subjetividade masculina; grupo focal; práticas discursivas.

Palavras-chave


paternidade participativa, subjetividade masculinidade, grupo focal, práticas discursivas.

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.