Relações interpessoais em famílias com portador da doença de Alzheimer

Liliane Dias de Lima, Juracy Cunegatto Marques

Resumo


A Doença de Alzheimer (DA) é uma desordem neurodegenerativa progressiva e incapacitante que se caracteriza pela deterioração cognitiva e da memória acompanhada da perda de autonomia, conseqüente à impossibilidade do desempenho das atividades diárias. Acompanhada por uma variedade de sintomas neuropsiquiátricos e distúrbios comportamentais leva o idoso acometido à total dependência. Em geral, o cuidado destes pacientes que se tornam dependentes progressivamente recai sobre as famílias provocando mudanças nas relações interpessoais intrafamiliares. Este trabalho, apoiando-se na teoria psicossocial de desenvolvimento, tem, como principal objetivo, apresentar algumas considerações que podem ser úteis para a compreensão das relações interpessoais que ocorrem nas famílias de portadores de Doença de Alzheimer. Segundo essa perspectiva teórica, para enfrentar tal problemática, cada membro da família será desafiado a manter a própria integridade do ego, para que possa oferecer melhores cuidados a(o) progenitor(a) sem, contudo, alterar o estilo próprio de vida.
Palavras-chave: Doença de Alzheimer; relações interpessoais; familiares cuidadores.

Palavras-chave


Doença de Alzheimer; relações interpessoais; familiares cuidadores.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.