Estudantes Superdotados e Underachievers: Prevalência, Características, Interesses e Estilos de Aprendizagem

Vanessa Terezinha Alves Tentes, Denise de Souza Fleith

Resumo


O foco deste estudo foi examinar o fenômeno underachievement, definido como discrepância entre o potencial revelado (habilidade) e a performance (realização), particularmente no contexto escolar, em alunos superdotados. Os objetivos foram identificar a prevalência da condição de baixa performance acadêmica entre 96 alunos que frequentavam um atendimento educacional especializado ao estudante com altas habilidades/superdotação, bem como descrever o perfil de superdotados (n=53) e de superdotados underachievers (n=43) em relação a variáveis demográficas, habilidades, preferências, interesses, aspectos motivacionais, características pessoais, relações interpessoais, desempenho acadêmico e estilos de aprendizagem. Utilizou-se uma composição de instrumentos, tais como análise documental, questionário demográfico e escalas de características, interesses e estilos de aprendizagem, para a coleta dos dados. Os resultados indicaram que existem superdotados underachievers entre estudantes superdotados e que superdotação distingue-se pela heterogeneidade de características pessoais e escolares.

Palavras-chave


Superdotação; baixa realização acadêmica; aluno superdotado; perfil.

Texto completo:

PDF

Referências


Betts, G. T. & Neihart, M. (2004). Profiles of the gifted and talented. Em S. Reis (Org. Série), Essential readings in gifted education: Vol.1. Definitions and conceptions of giftedness (pp. 97-106). Thousand Oaks, CA: Corwin Press.

Chagas, J. F. (2008). Adolescentes talentosos: características individuais e familiares (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Cramond, B. (1995). The coincidence of attention deficit hyperactivity disorder and creativity. Storrs, CT: The National Research Center on the Gifted and Talented.

Davidson Institute for Talent Development. (2009). Federal policies. Disponível em: http//www.davidsoninstitute.org/statepolicydetails

Fleith, D. S. (2009). Mitos e fatos sobre os superdotados. In O. Fávero, W. Ferreira, T. Ireland, & D. Barreiros (Eds.). Tornar a educação inclusiva (pp. 199-212). Brasília: UNESCO & AnPEd.

Gardner, H. (1995). Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artmed.

Gontijo, C. H. (2007). Criatividade, criatividade em matemática e motivação em matemática: um estudo comparativo entre alunas e alunos de ensino médio (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Ireland, V. E. (Org.). (2007). Repensando a escola: um estudo sobre os desafios de aprender, ler e escrever. Brasília: UNESCO/MEC/INEP.

Montgomery, D. (2009). Able, gifted and talented underachievers. London: Wiley-Blackwell.

Neves, E. R. C. & Boruchovitch, E. (2007). Escala de avaliação da motivação para aprender de alunos do Ensino Fundamental (EMA). Psicologia: Reflexão e Crítica, 20(3), 406-413.

Ourofino, V. T. A. T. (2010, July). Gifted, hyperactive and gifted hyperactive: a comparative study of self-concept and learning disabilities. Poster presented at the 12th International Conference of European Council for High Ability, Paris, France.

Ourofino, V. T. A. T., & Fleith, D. S. (2011). A condição underachievement em superdotação: definição e características. Psicologia Teoria e Prática, 13(3), 206-222.

Raven, J. (1992). Manual for Raven’s progressive matrices and vocabulary and scales. The standard progressive matrices. Oxford: Oxford Psychologists Press.

Reis, S. M., & McCoach, D. B. (2000). The underachievement of gifted students: What do we know and where do we go? Gifted Child Quarterly, 44(3), 152-170.

Renzulli, J. S. (1986). The three-ring conception of giftedness: A developmental model for creative productivity. In J. S. Renzulli, & S. M. Reis (Orgs.). The triad reader (pp. 53-92). Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Renzulli, J. S., & Smith, L. H. (1978, 2001). Learning styles inventory. Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Renzulli, J. S., Smith, L. H., White, A. J., Callahan, C. M., Hartman, R. K., & Westberg, K. L. (2000). The scales for rating the behavioral characteristics of superior student (SRBCSS-R). Mansfield Center, CT: Creative Learning Press.

Rimm, S. B. (2003). Underachievement: A national epidemic. In N. Colangelo, & G. A. Davis (Orgs.). Handbook of gifted education (3ª ed.) (pp. 424-443). Needham Heights, MA: Allyn Bacon.

Tentes, V. T. A. (2011). Superdotados e Superdotados Underachievers: um estudo comparativo das características pessoais, familiares e escolares. (Tese de doutorado não publicada). Universidade de Brasília, Brasília.

Wagner, M. B., Mota, V. T., & Dorneles, C. C. (2004). SPSS passo a passo. Caxias: Educs.

Wechsler, S. M. (2002). Avaliação da criatividade por figuras e palavras. Testes de Torrance. Campinas: Impressão Digital do Brasil.

Winner, E. (1998). Crianças superdotadas. Mitos e realidade. Porto Alegre: Artmed.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2014.2.12827



e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.