Relações de Gênero e a Atuação de Psicólogos na Oncologia: Subsídios para a Saúde Masculina

Alberto Mesaque Martins, Andrea Pereira Gazzinelli, Virgínia Torres Schall, Celina Maria Modena

Resumo


O câncer vem sendo considerado um problema de saúde pública com maior índice de mortalidade entre a população masculina. Este estudo tem como objetivo identificar e analisar os relatos de psicólogos sobre a assistência voltada ao público masculino no âmbito da oncologia. Na perspectiva da Pesquisa Descritiva e Exploratória e dos Estudos de Gênero, foi elaborado um questionário semiestruturado respondido por 113 psicólogos de diferentes regiões do Brasil. Observou-se a incipiência de ações voltadas para o público masculino e um maior reconhecimento das necessidades específicas das mulheres. Os entrevistados apontaram para dificuldades de adesão dos homens às atividades dos serviços de psicologia e ao tratamento oncológico, revelando implicações dos aspectos socioculturais e institucionais. Os dados apontam para o processo de genderificação das instituições de saúde e a necessidade de inclusão do tema das masculinidades no âmbito do SUS.

Palavras-chave


Neoplasias. Gênero. Masculinidade. Atuação do psicólogo. Psicologia social.

Texto completo:

PDF

Referências


Bastos, A. V. B., & Gomide, P. I. C. (2010). O psicólogo brasileiro: sua atuação e formação profissional. In: Yamamoto, O. H., & Costa A. L. F.. (Org.). Escritos sobre a profissão de psicólogo no Brasil (pp. 227-254). Natal: EDUFRN.

Brasil. Ministério da Saúde. (2009). Política nacional de atenção integral à Saúde do Homem: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde.

Breakwell, G. M., Fife-Schaw, C., Hammond, S., & Smith, J. A. (2010). Métodos de pesquisa em psicologia. Porto Alegre: Artmed.

Butler, J. (2010). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

CREPOP. Centro de Referencia Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (2010). Pesquisas sobre atuação dos psicólogos. Acessado em abril, 2012, em: http://crepop.pol.org.br/

Connel, R. W. (2005). Masculinities. Los Angeles: Berkeley.

Conselho Federal de Psicologia – CFP. (2010). Atuação dos psicólogos nos serviços hospitalares do Sistema Único de Saúde – SUS: relatório descritivo preliminar de pesquisa. Brasília: Conselho Federal de Psicologia.

Costa Junior, A. L. (2001). O desenvolvimento da psico-oncologia: implicações para a pesquisa e intervenção profissional em saúde. Psicologia Ciência e Profissão, 21(2), 36-43.

Figueiredo, W., & Schraiber, L. B. (2011). Concepções de gênero de homens usuários e profissionais de saúde de serviços de atenção primária e os possíveis impactos na saúde da população masculina, São Paulo, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 16 (supl. 1), 935-944.

Gomes, R. (2008). Sexualidade masculina, gênero e saúde. Coleção: Criança, Mulher e Saúde. Rio de Janeiro: FIOCRUZ.

Gomes, R., Moreira, M. C., Nascimento, E. F.; Rebello, L. E., Couto, M. T., & Schraiber, L. B. (2011). Os homens não vêm! Interpretação dos profissionais de saúde sobre ausência e ou invisibilidade masculina nos serviços de atenção primária do Rio de Janeiro. Ciência e Saúde Coletiva, 16 (supl. 1), 983-992.

Instituto Nacional do Câncer – INCA (2011). Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Câncer.

Lago, M. C. S., & Muller, R. C. F. O sujeito universal do cuidado no SUS: gênero, corpo e cuidado com a saúde nas falas de profissionais e usuários do Hospital Universitário – Florianópolis, Santa Catarina. In Strey, M. N., Nogueira, C., & Azambuja, M. R. (Orgs.). Gênero & saúde: diálogos ibero-brasileiros (pp. 279-302). Porto Alegre: Edipucrs.

Lee, C. & Owens, R.G. (2002). Issues for a Psychology of Men’s Health. Journal of Health Psychology, 7(3), 209-217.

Machin, R. et al. (2011). Concepções de gênero, masculinidade e cuidados em saúde: um estudo com profissionais de saúde da atenção primária. Interface: comunicação, saúde, educação, 14 (33), 257-270.

Marques, A. M. (2010). Gênero e Saúde: uma relação ainda oculta. In Strey, M. N., Nogueira, C., & Azambuja, M. R. (Orgs.). Gênero & saúde: diálogos ibero-brasileiros (pp. 35-58). Porto Alegre: Edipucrs.

Martins, A. M., Gazzinelli, A. P., Almeida, S. S. L., Schall, V. T., & Modena, C. M. (2012). Concepções de psicólogos sobre adoecimento de homens com câncer. Psicologia: Teoria e Prática.

National Cancer Intelligence Network – NCIN. (2009). The excess burden of câncer in men in the UK. Acessado em março, 2012, em: http://info.cancerresearchuk.org/prod_consump/groups/

cr_common/@nre/@sta/documents/generalcontent/crukmig_1000ast-2748.pdf

Piovesan, A., & Temporini, E. R. (1995). Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Revista de Saúde Pública, 29(4), 318-325.

Schraiber, L. B., & Figueiredo, W. S. (2011). Integralidade em saúde e os homens na perspectiva relacional de gênero. In Gomes R. (Org.). Saúde do Homem em debate (pp. 19-38). Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Schraiber, L. B. et al. (2010). Necessidades de saúde e masculinidades: atenção primária no cuidado aos homens. Cadernos de Saúde Pública, 26(5), 961-970.

Scott, J. (1995). Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, 20(2), 71-99.

Seixas, P. S., Coelho-Lima, F., & Costa, A. L. F. (2010). Caracterização de dissertações/teses que versam sobre a profissão de psicólogo no Brasil. In Yamamoto, O. H., & Costa A. L. F. (Orgs.). Escritos sobre a profissão de psicólogo no Brasil (pp. 59-98). Natal: EDUFRN, 2010.

Silva, L. C. (2009). O Cuidado na vivência do doente de câncer: uma compreensão fenomenológica. Maringá: UEM.

Silva, A. B. H. C. (2010). O estresse na prática profissional do psicólogo em UTI: uma revisão de literatura. Rev. SBPH, 13 (1), 33-51.

Toneli, M. J. F., Souza, M. G. C. & Muller, R. C. F. (2010). Masculinidades e práticas de saúde: retratos da experiência de pesquisa em Florianópolis/SC. Physis, 20(3), 973-994.

White, A. K., Thomson, C. S., Forman, D., & Meryn, S. (2010). Men’s Health and the Excess Burden of Cancer in Men. European Urology Supplements, 9(3), 467-470.

Who – Instituto de Pesquisa Mercado e Opinião. (2001). Pesquisa feita junto aos associados do Conselho Federal de Psicologia. Relatório Final. CFP.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-8623.2014.1.11998



e-ISSN: 1980-8623

ISSN-L: 0103-5371

*********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS