Frequência Autorreportada de Vandalismo na Escola: Questões de Gênero, Idade e Escolaridade

Maíra Longhinotti Felippe, Luana dos Santos Raymundo, Ariane Kuhnen

Resumo


Esta investigação objetivou descrever a prática de vandalismo escolar autorreportada por estudantes, relacionando-a igualmente a gênero, idade e escolaridade. Responderam a um questionário, 508 estudantes cursando da sétima série do Ensino Fundamental à terceira série do Ensino Médio de uma escola pública de Florianópolis (SC). Ações que acarretam desgaste da estrutura edificada estiveram entre as menos praticadas, enquanto aquelas que afetam porções superficiais dessa estrutura por deposição de resíduos, ações de jogar lixo no chão e contra equipamentos alocados no prédio estiveram entre as mais reportadas. Os resultados também indicaram uma diferença entre sexos e entre estudantes do Ensino Fundamental e Médio quanto ao vandalismo autorreportado, sugerindo que estudantes do sexo feminino e do Ensino Médio possuem maior cuidado ambiental. Uma relação com a idade dos participantes não foi encontrada, suscitando questões acerca de como a série escolar e a idade interagem ao longo do processo de desenvolvimento humano pró-ambiental.

Palavras-chave


Vandalismo; adolescência; psicologia ambiental.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.