O pensamento do perdão em idosos institucionalizados

Jamila Leime, Verônica Luna, Juliana Leite, Júlio Rique Neto

Resumo


Este trabalho apresenta uma análise do julgamento do perdão em homens com idade média de 72 anos, residentes em uma instituição de longa permanência para idosos, da cidade de João Pessoa, na Paraíba. Utilizaram-se dois instrumentos: a folha de rosto da Escala EFI, que fornece dados sobre mágoa e perdão e o Dilema de João, que avalia a capacidade de role-taking, a compreensão do perdão e as condições que facilitam o perdão. Os instrumentos foram administrados em sessões individuais e as entrevistas foram gravadas e transcritas. Os dados mostraram que a maioria dos idosos fez menção a mágoas, com prevalência de situações recentes. 70% dos idosos mostraram-se capazes de role-taking e 30% tiveram dificuldade de se colocar no lugar do personagem do dilema hipotético. Predominou um pensamento favorável ao perdão, com justificativas fundamentadas em expectativas institucionais religiosas e/ou motivos socioafetivos. Os idosos também demonstraram apatia e tédio, que dificultaram a sua participação na pesquisa. Espera-se que os resultados contribuam para a implantação de programas de intervenção na população idosa, visando o aumento da sua disposição para o perdão e a adoção de estratégias de enfrentamento das injustiças.

Palavras-chave


Pensamentos de perdão; idosos institucionalizados; desenvolvimento moral.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.