A Desqualificação do SUS na Folha de São Paulo: Construção Discursiva de Gestores e Usuários

Gabriela Martins Silva, Emerson Fernando Rasera

Resumo


A literatura atual em saúde aponta como a mídia tem realizado uma cobertura tendenciosa do SUS, enfatizando os problemas e se desinteressando pelos êxitos. Buscando investigar as estratégias discursivas utilizadas na desqualificação do SUS, especificamente, dos gestores e usuários, analisamos notícias publicadas pelo jornal Folha de São Paulo, no ano de 2008. Baseados na análise crítica do discurso, identificamos a construção da incompetência do governo, a partir de cinco estratégias discursivas: A desmoralização do governo; A valorização das alternativas; A utilização da voz de especialistas; A personalização do governo; e O foco no tempo. A indeterminação da inserção do usuário no Sistema foi construída a partir das estratégias discursivas de Despolitização do usuário; Politização limitada; e Judicialização. Consideramos que tais estratégias enfatizam o governo como responsável e não valorizam a participação popular via controle social, limitando as possibilidades de mudança no Sistema e transformando a crítica jornalística em desqualificação.

Palavras-chave


SUS; imprensa; controle social; comunicação em saúde; análise crítica do discurso.

Texto completo:

PDF




e-ISSN: 1980-8623 | ISSN-L: 0103-5371


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.