Práticas pedagógicas inovadoras no ensino universitário: uma análise da motivação e da percepção dos alunos

Kátia Soares Coutinho, Liliana Maria Passerino, Renato Bayan Henriques, Marlus Moschen Avila

Resumo


Inovação no Ensino Superior requer priorizar uma ação educativa significativa a partir de movimento, contradição, análise sistemática e intencional de problemas contextualizados que permitam a construção de sínteses numa ação mediada entre alunos e professores. O presente texto se propõe analisar as práticas pedagógicas no contexto do Ensino Universitário de uma universidade pública brasileira [omitida para revisão blind], em duas áreas disciplinares: Engenharia e Educação sob o viés da motivação decorrente das propostas metodológicas usadas nas aulas de graduação bem como a percepção dos alunos sobre a contribuição das mesmas em sua vida profissional. A metodologia de cunho qualitativo é o estudo de caso que se desenvolveu no primeiro semestre de 2018 e no qual participaram duas turmas de graduação nas áreas de humanas e de exatas. A coleta dos dados foi triangulada a partir da observação participante, da utilização do questionário IMI (Intrinsic Motivation Inventory) e de entrevistas individuais online. Os resultados mostram que a metodologia orientada à resolução de problemas, o uso de recursos pedagógicos desafiadores e o trabalho colaborativo potencializam a motivação dos estudantes e propiciam condições para a construção de um processo de ensino e aprendizagem enriquecedor.


Palavras-chave


Resolução de problemas; Práticas inovadoras; Tecnologia na educação; Ensino universitário.

Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (Org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 3. ed. Joinville: Univille, 2004. p. 67-100.

ARAÚJO, P. N. F. A. Tecnologia em Sala de Aula: entre o fascínio e a rejeição. 2012. 110f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação) – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, Lisboa, 2012.

BALANSKAT, A.; BLAMIRE, R. ICT in Schools: Trends, Innovations and Issues in 2006-2007. European Communities: European Schoolnet, 2007. Disponível em:

http://insight.eun.org/shared/data/pdf/ict__in__schools_2006-7_final.pdf. Acesso em: 11 jun. 2018.

BEYER, H. O. A Educação Inclusiva: ressignificando conceitos e práticas da educação especial. Inclusão: Revista da Educação Especial, SEESP/MEC, Brasília, v. 2, n. 2, p. 8-12, ago. 2006.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola de alunos com necessidades educacionais especiais. Porto Alegre: Mediação, 2000.

BOUABID, A.; LEPREUX, S.; KOLSK, C. Study on generic tangible objects used to collaborate remotely on RFID tabletops. Journal on Multimodal User Interfaces, v. 12, p. 1-20, Mar. 2018.

BRAZ, Design para todos e educação inclusiva: envolvendo professores na criação de tecnologias. 2017. 120f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) – Instituto de Computação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

BUNGE, M. Ciencia, técnica y desarrollo. Buenos Aires: Sudamericana, 1997.

BUNGE, M. Teoria e realidade. São Paulo: Perspectiva, 1974.

CALLEGARI, J. H. Robótica educativa com crianças/jovens: processos sociocognitivos. 2015. 152f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2015.

CARBAJAL, M. L. Design e desenvolvimento de um ambiente de programação tangível de baixo custo para crianças. 2016. 87f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) – Instituto de Computação da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2016. Disponível em:

http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/321189. Acesso em: 23 jul. 2018.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede: a era da informação – economia, sociedade e cultura. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2010. v. 1.

CHAIKLIN, S. A zona de desenvolvimento próximo na análise de Vigotski sobre aprendizagem e ensino. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 16 n. 4, out./dez. 2011. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722011000400016. Acesso em: 15 jun. 2018.

CUPANI, Alberto. A Realidade Complexa da Tecnologia. Cadernos IHU Ideias, São Leopoldo, v. 12, n. 216, 2014.

DAVÝDOV, V. V. Tipos de Generalización en la Ensenanza. La Habana: Pueblo y Educación, 1978.

FAVARETTO, A. S. Robótica livre como alternativa didática para a aprendizagem de música. 2016. 93f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Fundação Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2016.

FLEIG, M. T.; BOLZAN, D. P. V. Processos formativos para a docência: o que dizem os estudantes de Pedagogia de uma IES pública? Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 3-21, jan./jun. 2017. Disponível em:

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/25693/15727. Acesso em: 5 jun. 2018.

FLORENTINO, J. A.; RODRIGUES, L. P. Disciplinaridade, interdisciplinaridade e complexidade na educação: desafios à formação docente. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 6, n. 1, p. 54-67, jan./jun. 2015. Disponível em:

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/17410/12794. Acesso em: 13 jun. 2018.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 29. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.

GALLIMORE, R.; THARP, R. O pensamento educativo na sociedade: ensino, escolarização e discurso escrito. In: MOLL, Luis C. Vygotsky e a educação: implicações pedagógicas da psicologia sócio-histórica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996. p. 171-199.

GUIMARÃES JÚNIOR, C. S. S. Proposta de um framework baseado em arquitetura orientada a serviços para a robótica. 2015. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

HERNANDEZ, F. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

KUENZER, A. Z. Trabalho e escola: a aprendizagem flexibilizada. In: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO – ANPED SUL, 11., 2016, Curitiba. Anais… Curitiba: UFPR. p. 1-22.

LÁZARO, A. C.; SATTO, M. A. V.; TEZANI, T. C. R. Metodologias ativas no ensino superior: o papel do docente no ensino presencial. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS / ENCONTRO DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 4., 2018, São Carlos. Anais... São Carlos: UFSCar, 2018.

McAULEY, E.; DUNCAN, T.; TAMMEN, V. Psychometric properties of the intrinsic motivation inventory in a competitive sport setting: a confirmatory factor analysis. Research Quarterly for Exercise and Sport, v. 60, n. 1, p. 48-58. 1989.

McAULEY, E; WRAITH, S.; DUNCAN, T. Self-efficacy, perceptions of success, and intrinsic motivation for exercise. Journal of Applied Social Psychology, v. 21, p. 139-155, 1991.

MARQUES, J. M.; RAMOS, V. Robótica educativa em Portugal – estado da arte. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, A Coruña; Braga, v. extr., n. 13, p. 193-197, 2017.

OLIVEIRA, M. R. Do mito da tecnologia ao paradigma tecnológico; a mediação tecnológica nas práticas didático-pedagógicas. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 18, p. 101-107, set./dez. 2001.

PASSERINO, Liliana. Apontamentos para uma reflexão sobre a função social das tecnologias no processo educativo. Texto Digital, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 58-77, ago. 2010. ISSN 1807-9288. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/textodigital/article/view/1807-9288.2010v6n1p58. Acesso em: 13 jun. 2018.

SILVA, A. F. RoboEduc: uma metodologia de aprendizado com Robótica Educacional. 2009. 115f. Tese (Doutorado em Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, área de concentração: Engenharia da Computação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.

TUCKER, B. The flipped classroom. Education Next, Cambridge, MA, v. 12 n. 1, winter 2012. Disponível em:

https://www.educationnext.org/the-flipped-classroom/. Acesso em: 20 jun. 2018.

VIEIRA PINTO, A. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: M. Fontes, 1998.

VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas: fundamentos de defectologia. Madrid: Visor, 1997. Tomo 5.

WERTSCH, J. A necessidade da ação na pesquisa sociocultural. In: WERTSCH, J.; DEL RÍO, P.; ALVAREZ, A. Estudos socioculturais da mente. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 56-71.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2179-8435.2018.2.31594

>

e-ISSN: 2179-8435

*********************************

Avaliação do Qualis CAPES - 2016

ÁREA CAPES - Educação

CLASSIFICAÇÃO - B2

ÁREA CAPES – Ensino

CLASSIFICAÇÃO – B1


Indexado em:
 

REDIB 

 *********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS