O ensino da arte no Colégio Pedro II: resistência e mudança

Maria do Carmo Potsch de Carvalho e Silva, Laélia Portela Moreira

Resumo


O artigo apresenta uma análise crítica da trajetória do ensino da arte no Colégio Pedro II (CPII), do ensino do Desenho à atual disciplina Artes Visuais. Buscou-se relacionar as tendências nacionais e internacionais às políticas e às práticas do ensino dessa disciplina no CPII, em suas diversas fases e modalidades. A metodologia incluiu estudo de documentos e entrevistas com professores e ex-professores. Após breves anotações sobre o ensino da arte, detalha-se a trajetória da disciplina, a partir da análise de conteúdo da documentação e das entrevistas realizadas. Os resultados mostram que as diversas fases e denominações apresentadas pelo ensino da arte, nesse educandário, refletiram as políticas nacionais, influenciadas pelas tendências internacionais, e também que seus professores influenciaram as políticas e a formulação dos conteúdos dessa disciplina por meio de sua ação pedagógica e política.


Palavras-chave


Colégio Pedro II; ensino da arte; arte/educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Ana Mae. Arte educação no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2005.

______. A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo. Perspectiva, 2005a.

______. Arte-Educação: conflitos/acertos. SP: Max Limonad, 1988.

______. Entre memória e história. In: Barbosa, Ana Mae (Org.). Ensino da arte: memória e história. São Paulo: Perspectiva, 2008. p. 1-26.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Casa Civil, Subchefia para assuntos jurídicos. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 18 maio 2012.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Decreto-Lei 4.244, de 9 de abril de 1942. Lei Orgânica do Ensino Secundário e Legislação Complementar. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1955.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei nº 5.692. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília, 1971. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=102368. Acesso em 18 maio 2012.

BRASIL. Portaria Ministerial nº 614, de 10 de maio de 1951.

BRASIL. Portaria Ministerial nº 557 de 1945. Diário Oficial da União, seção 1.

BRASIL. Parecer nº 853 de novembro de 1971. Conselho Federal de Educação. Câmara de Ensino de 1º e 2º Graus. Integrado na Lei 5.692/71. Novembro de 1971.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Departamento de Ensino Médio. Plano Global de Implantação Progressiva das Habilidades Básicas no Colégio Pedro II. 2. ed. revisada. Brasília, DF, 1977.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

Carvalho e Silva , Maria do Carmo Potsch de. O ensino da arte no

Colégio Pedro II: políticas e práticas. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estácio de Sá (PPGE/UNESA). Rio de Janeiro, 2013. Colégio Pedro II. Programa de Educação Artística – Artes Plásticas. 1º e 2º Graus. Externato. Unidade Bernardo de Vasconcellos, Seção Tijuca, 1979. (Datilografado).

______. Plano Geral de Ensino 1981.

______. Plano Geral de Ensino 1985.

Colégio Pedro II. Relatório dos Professores de Educação Artística a respeito da reciclagem de 1993. (Datilografado).

DÓRIA, Escragnolle. Memória histórica do Colégio de Pedro Segundo. Brasília: Inep, 1997.

EFLAND, Arthur. A history of art education. New York: Teachers College. Columbia University, 1990.

EISNER, Elliot. Estrutura e mágica no ensino de Arte. In: Barbosa, Ana Mae (Org.). Arte-Educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 1997. p. 77-92.

GOMBRICH, Ernest. A história da arte. 16. ed. Rio de Janeiro: LTC Editora, 1999.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo. Martins Fontes, 2001.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil: 1930-1973. 36. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

ROSA, Maria Cristina de. A formação do professor de arte: diversidade e complexidade pedagógica. Florianópolis: Insular, 2005.

SEGISMUNDO, Fernando. Trabalhos manuais no currículo secundário. Separata do Anuário do Colégio Pedro II, v. IX. Rio de Jnaeiro, 1939.

XAVIER, Maria Elisabete. Historia da educação: a escola no Brasil. São Paulo: FTD, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2179-8435.2016.1.23160

>

e-ISSN: 2179-8435

*********************************

Avaliação do Qualis CAPES - 2016

ÁREA CAPES - Educação

CLASSIFICAÇÃO - B2

ÁREA CAPES – Ensino

CLASSIFICAÇÃO – B1


Indexado em:
 

REDIB 

 *********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS