O estudo da água através de um ambiente virtual de aprendizagem com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental

Janaina Ramos Ziegler, Fernada Eloisa Schmitt, Márcia Jussara Hepp Rehfeldt, Miriam Inês Marchi

Resumo


O presente trabalho é fruto de uma prática realizada em uma escola do Vale do Taquari/RS, com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental, a qual foi desenvolvida a partir da proposta exibida na disciplina de Ambientes Virtuais de Aprendizagem do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas do Centro Universitário UNIVATES. Dessa forma, elaborou-se um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), utilizando-se algumas das ferramentas disponíveis neste ambiente, com o objetivo de apresentar aos alunos o tema “Água” na disciplina de Ciências. Por se tratar de um público jovem, também chamado de nativos digitais, desenvolveu-se um ambiente cuja caraterística principal foi o uso de imagens. Para isso, contou-se com o apoio da TV Univates, para a elaboração de um vídeo sobre as fases da água, sendo esse um dos materiais disponibilizados para o estudo do tema. Os resultados apontaram para a curiosidade e autonomia dos alunos ao se interessarem por determinado assunto e pesquisarem mais sobre ele. Um material didático muito apreciado pelos alunos foi o vídeo explicativo, o qual gerou muitos comentários positivos. Entre as dificuldades apresentadas, destacam-se as apresentadas nas questões de múltipla escolha, pois os alunos se confundiram com as alternativas e, também, os problemas com o login no ambiente, esquecendo a senha ou trocando caracteres do e-mail. Ao final das atividades, todos gostaram da experiência e questionaram se não poderiam ter mais aulas no ambiente virtual.

Palavras-chave


Ambiente virtual de aprendizagem. Água. Ensino Fundamental.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Banco internacional de objetos educacionais. Brasília: MEC. Disponível em: http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/ - Acesso em: 12 jul. 2013.

LISBÔA, E. S.; JUNIOR, J. B. B.; COUTINHO, C. P. O contributo do vídeo na educação online. In: CONGRESSO INTERNACIONAL GALEGO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA, X., 2009, Braga. Actas... Braga: Universidade do Minho, 2009. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/9593/1/ContributoVideo.pdf - Acesso em: 5 ago. 2013.

MORIN, Edgar. Os sete necessários à educação do futuro. Tradução de Catarina Eleonora F. da Silva e Jeanne Sawaya. 2. ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2000.

MESSA, Wilmara Cruz. Utilização de ambientes virtuais de aprendizagem – AVAS: a busca por uma aprendizagem significativa. In: Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, v. 9, 2010. Qualis – ISSN 1086-1362. Disponível em: http://www.abed.org.br/revistacientifica/Revista_PDF_Doc/2010/2010_2462010174147.pdf - Acesso em: 10 jul. 2013.

PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. In: On the Horizon. MCB University Press, v. 9, n. 5. Oct. 2001. Tradução de Roberta de Moraes Jesus de Souza. Disponível em: http://crisgorete.pbworks.com/w/file/fetch/58325978/Nativos.pdf - Acesso em: 30 jul. 2013.

RATIER, Rodrigo. O que é um Gêiser? In: RATIER, R. Mundo estranho. Editora Abril. Disponível em: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-e-um-geiser - Acesso em: 12 jul. 2013.

REFELDT, M. J. H. A aplicação de modelos matemáticos emsituações-problemas empresariais, com uso do software LINDO. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. f. 206+anexos.

ROSA, Emiliana Faria; LUCHI, Marcos. Semiótica imagética: a importância na aprendizagem. In: ENCONTRO DO CELSUL, IX., out. 2010, Palhoça, SC. Anais ... Palhoça: Universidade do Sul de Santa Catarina, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2179-8435.2014.2.17106

>

e-ISSN: 2179-8435

*********************************

Avaliação do Qualis CAPES - 2016

ÁREA CAPES - Educação

CLASSIFICAÇÃO - B2

ÁREA CAPES – Ensino

CLASSIFICAÇÃO – B1


Indexado em:
 

REDIB 

 *********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS