Educação Infantil: a inversão da dicotomia entre o ensino público e o privado

Fernanda Maria Brandoli

Resumo


No presente trabalho considera-se o princípio da coexistência de escolas públicas e privadas, analisando-se, a partir de dados oficiais, que no município de Marau/RS não existem escolas privadas exclusivas de Educação Infantil, pois a rede pública, que conta atualmente com 12 instituições, consegue atender crianças das diferentes classes sociais, dos seis meses aos seis anos de idade. Nesse sentido, o poder público cumpre a sua função, e, como prescreve o artigo 19 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), a competência de criar ou incorporar instituições de ensino para atender as demandas sociais por um ensino público, obrigatório e gratuito. O objetivo deste artigo é, portanto, demonstrar como se efetiva este atendimento em termos de estrutura física e recursos humanos, comprovando, através de dados oficiais, que o município de Marau pretende atender toda a demanda de creche e pré-escola no prazo de um ano.

Texto completo:

PDF


>

e-ISSN: 2179-8435

*********************************

Avaliação do Qualis CAPES - 2016

ÁREA CAPES - Educação

CLASSIFICAÇÃO - B2

ÁREA CAPES – Ensino

CLASSIFICAÇÃO – B1


Indexado em:
 

REDIB 

 *********************************

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS